Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

A CARREIRA DE ADVOGADO DA UNIÃO.

Bom dia meus amigos, como andam as coisas? 

Depois de muitos pedidos, resolvi escrever a vocês um pouco sobre a Carreira de Advogado da União. Falarei tudo que conseguir lembrar. 

Inicialmente, sobre o concurso... 

Em regra são mais de 20 mil inscritos (no meu foram 28 mil) para algo em torno de 300 aprovados. A prova é organizada pelo CESPE /UNB e consta de prova objetiva, discursiva, investigação social, oral e títulos. Uma maratona... 

Nossas atribuições- representar judicial e extrajudicialmente a União, bem como prestar consultoria jurídica ao Poder Executivo. O que isso quer dizer? R: que cabe exclusivamente aos Advogados da União representar toda a União Federal nos processos, judiciais ou não, em que essa for autora ou ré (Ex: Um militar pleiteia a concessão de um benefício, quem defende a União somos nós), bem como assessoramos todos os órgãos públicos vinculados ao Poder Executivo (Ex: analisamos a legalidade de uma licitação, de um PAD etc). 
OBS- os AU apenas não representam a União em matéria tributária. 

Há muitas audiências? R: Não. Em média uma por mês, quando há...

Lotação Inicial- Brasília (80%), Norte do País, Palmas ou Cuiabá (18%) outras localidades (Criciúma, Montes Claros, interior do RS e Campo Grande - 2%). 
Em Brasília o aprovado tem uma gama muito grande de opções, podendo trabalhar em QUALQUER MINISTÉRIO ou ainda, logo no início de carreira, junto ao STF ou STJ. 
Quem trabalha em Ministérios, via de regra, tem uma remuneração maior, pois pode galgar a funções de confiança (que são muitas). 

Remoção para SP, SUL, Nordeste, Goiás- dificílima. Para Recife, Porto Alegre ou SP até que não demora tanto (algo em torno de 05 anos), mas para outras localidades não temos nem perspectivas (ao menos que os senhores fiquem 3 anos no norte, nesse caso terão preferências). 

Promoção- em regra rápidas. O bom da promoção é que não exige que o promovido seja removido. Assim, o candidato promove, mas permanece na mesma lotação. 

Controle de Horário- em regra inexiste, pois é incompatível com a função de Advogado. Para quem trabalha no contencioso (processos judiciais) não existe horário, mas sim prazos. 

Volume de trabalho- varia muito de lotação em lotação, mas não é nada parecido com o que enfrentam os Procuradores do INSS, por exemplo. Falando por mim, tenho em média 30 processos semanais (pode aumentar ou diminuir, mas a média é essa), o que me permite fazer todos com qualidade durante a semana.

Remuneração- falo por ser público. Sou do último concurso e nosso subsidio bruto é algo em torno de R$ 20.000,00, o que líquido equivale a R$ 15.000,00. 

Regime de Previdência- todos que ingressarem atualmente, serão enquadrados na previdência complementar. 

Advocacia Privada- ainda não regulamentada, mas acredito que será liberada ainda esse ano. 

Honorários- ainda não regulamentados, mas com boa perspectiva de o serem ainda esse ano. 

Reclamações mais comuns- a maior reclamação é a diferença salarial em relação ao MP/Magis Federal. Outra reclamação é a existência de uma certa hierarquia (ou seja, para não recorrer, por exemplo, temos de ter autorização da chefia). 

Vale a Pena? Muitooooooooooo, a carreira é muito boa, com uma ótima remuneração. Na PU/MS , por exemplo, temos um ambiente de trabalho incrível, assim como nas demais unidades também.

Penso que, dentre as carreiras da AGU, é que a permite ao aprovado maior crescimento no serviço público, pois permite o trabalho junto ao centro decisório do país (orientando juridicamente um Ministro, por exemplo). 

Se tiverem mais alguma dúvida, deixem nos comentários que responderei! 

Bons estudos a todos. 

Eduardo, em 22/04/2016

28 comentários:

  1. Considerando que o proximo concurso da AGU será de procurador federal, gostaria de saber como é a carreira no dia-a-dia. Sou de Goiás, será que tem chance de haver vagas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PGF varia muito da lotação. Funai é diferente de INSS, p. ex.

      Excluir
  2. É a carreira da união que mais me atrai! Vc sabe de previsão de concurso? Teve ano passado mas não foi nem 100 vagas e me parece que ainda está em andamento. O edital para AU difere um pouco para Procurador Federal.. Melhor focar no objetivo?

    ResponderExcluir
  3. No seu concurso, todos os candidatos puderem escolher a lotação? Ou até qual colocação?

    ResponderExcluir
  4. Edu, sou servidora público federal (MPU) desde 2010 e, portanto, do regime anterior do RPPS. Gostaria de saber se poderei mantê-lo caso tome posse imediatamente na AGU (sem descontinuidade).

    ResponderExcluir
  5. Em relação ao concurso de AU e procurador Federal existe uma diferença muito grande no que se refere ao edital e conteúdo a ser focado no decorrer da preparação?

    ResponderExcluir
  6. Edu dá para estudar para analista do MPU e AGU ao mesmo tempo ?

    ResponderExcluir
  7. Há possibilidade de aproveitar o tempo como técnico judiciário de um TRT para comprovação de prática jurídica ?

    ResponderExcluir
  8. Tenho dois parentes q são procuradores, um deles é do INSS, e n desejo aquilo para o meu maior inimigo caso eu tenha um. São 60, 70 contestações por dia! Ele tem todas as dores na coluna possíveis pq passa horas sentado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas muitas (ou todas) são modelos.

      Muitos procuradores do INSS gostam, justamente por conta disso.

      Excluir
  9. Eduardo, comprei o edital que voce lançou para o concurso de Advogado da Uniao. Terminei a faculdade ano passado, em jacarezinho tambem. Comecei a estudar pelo edital em fevereiro e estou adorando. Quando voce acha que havera outro concurso para Advogado da Uniao? E, mesmo se demorar um pouco o concurso, se eu continuar pautando meus estudos por esse edital que mencionei, mais questoes e jurisprudencia, estarei bem preparada para quando o concurso sair?

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Qual a previsão para o próximo concurso de AU? Sendo que esse ainda nem acabou...

    ResponderExcluir
  12. Bom dia, Eduardo. Com relação à previdência complementar, quem era servidor público estadual concursado antes da entrada em vigor do novo regime, consegue "averbar/incorporar" esse tempo e entrar ainda no regime antigo? Todas as carreiras federais já adotam tal entendimento? Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisará discutir judicialmente se se tornar servidor do executivo. O MPF, por sua vez, averba administrativamente.

      Excluir
  13. E em relação à PFN, muda muito? Me refiro à quantidade de trabalho, possíveis audiências, etc?

    ResponderExcluir
  14. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Boa noite, Eduardo. O candidato aprovado e lotado em Brasília pode escolher a sua lotação inicial? No meu caso, gostaria de exercer essa função consultiva nos ministérios. Não teria interesse no contencioso junto aos Tribunais Superiores. O recém-aprovado pode fazer a opção, ou é simplesmente designado para determinado local?

    ResponderExcluir
  17. Professor Eduardo, achei muito interessante e útil este tópico sobre carreiras.
    Muitas pessoas têm dificuldade de escolher uma carreira pela falta de informações.
    Podem até se direcionar a um cargo específico por gostar um pouco mais das respectivas disciplinas e, assim, serem aprovados com facilidade, mas não têm conhecimento real sobre o cargo que ocuparão (condições de trabalho, volume de tarefas, vantagens e desvantagens, possibilidade de remoção a curto e longo prazo para uma cidade específicas, frequência de audiências etc).
    Então eu gostaria de sugerir que mais carreiras fossem analisadas com a mesma didática utilizada neste tópico.

    ResponderExcluir
  18. Com relação à lotação inicial, só me interesso por Brasília. Consigo?

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!