DICAS PONTUAIS PARA SUA APROVAÇÃO

O TEMPO MÉDIO ATÉ A APROVAÇÃO= QUANTO TEMPO PRECISO PARA SER APROVADO?

Olá queridos, bom dia de sábado a todos. 

Hoje outra pergunta bastante recorrente: qual o tempo necessário para a aprovação? 

Falarei das carreiras fins (AGU, PGES, MPs, MAGIS, DPE e DPU) e para quem estuda com COMPROMETIMENTO.

Inicialmente deixo claro que os prazos abaixo não são absolutos, não são uma verdade incontestável, até porque cada um dos candidatos é diferente. Sejamos honestos: alguns tem mais facilidade, outros menos, alguns tem mais tempo, outros menos, alguns estudam da forma correta, outros não...

Por isso falarei da média: em média o tempo necessário a aprovação é de 2 anos a 5 anos de estudos. A média de idade dos aprovados está entre 25 a 28 anos. 

Assim, aqueles que fizeram uma boa faculdade têm condições de ser aprovado em menos tempo, aqueles que festaram bastante e não se dedicaram aos estudos, precisarão de mais. 

Mas o verdadeiro objetivo dessa postagem é dizer: não existe fórmula mágica de aprendizado em seis meses ou um ano. É muito raro, praticamente impossível, passar em uma Magistratura/MP/PGE com apenas um ano de estudos firmes (sem ter feito uma boa faculdade, por exemplo). 

Qualquer um que prometer a vocês a aprovação em um ano (nos concursos acima) está MENTINDO. Vocês precisam de no mínimo um ano para fechar com qualidade o edital e de mais seis meses (pelo menos) para revisar. 

Assim, antes de um ano não se cobrem... Se permitam nesse um/dois anos formar uma base de estudos boa para, aí sim, começar as cobranças em busca de resultados efetivos. 

Os dois primeiros anos da preparação são de reprovações, praticamente em todos os concursos (e ainda na primeira fase). Após isso, o resultado tem que começar a aparecer (aumento significativo dos acertos, aproximação da nota de corte etc). 

Ou seja, o primeiro e o segundo ano são aqueles para o candidato sair do 40% e chegar ao menos no 60/65% de acertos. Se após 2 anos o candidato continuar no 40% ou 50% algo muito errado está acontecendo (e arrisco dizer: se as coisas continuarem como estão vocês dificilmente passarão). 

Enfim, resumindo:
1 e 2 ano- formar uma base jurídica. Aprovação em primeira fase é difícil, mas pode ser que ocorra (para os mais dedicados ou com maiores facilidades de aprendizado). 

3 e 4 anos- aluno deve estar bem próximo da nota de norte na primeira fase. Caso ainda esteja nos 40%, 50% até 55% de acertos algo está muito errado e possivelmente a aprovação não virá se as coisas continuarem como estão. 

5 ano- a aprovação é questão de tempo. Aluno não tem mais problemas com primeira fase. Se no 5 ano de estudos, você ainda estiver longe de uma nota de corte, minha sugestão é que entre em contato com um profissional para que ele possa lhe ajudar a verificar seus erros. 

OBS- Fiz essa postagem para vocês saberem do razoável. Lógico que vão aparecer histórias de pessoas que só foram aprovados após 10 anos de muito estudos e de outras que foram aprovadas com 06 meses, mas saibam que essa não é a média. 

Com 06 meses de estudos a aprovação é rara e com 10 anos é demorada. Ambas são os extremos: a primeira é o extremo da facilidade de aprendizado, e a segunda o extremo da perseverança. 

Concordam ou discordam da postagem? 

Bons estudos a todos. 

Eduardo, em 23/04/2016

28 comentários:

  1. Como sempre você nos ajudando..... Obrigada sempre

    ResponderExcluir
  2. Bom, então acho que estou no caminho correto. Ano passado, nas provas da AGU e PFN, fiz, respectivamente, 54% e 49% com 7 a 8 meses de estudo.

    Meu único medo é me perder nessa infinidade de matérias. Sinto que preciso de mais organizaçao.

    ResponderExcluir
  3. Concordo plenamente!! E é esse o prazo que espero que aconteça comigo...1 e 1/2 para formar uma base no mínimo!! É o tempo TB de alcançar meus 3 anos de prática... Chegarei lá!!

    ResponderExcluir
  4. Concordo! A média realmente é essa. Ratifico tbm que a faculdade é um ponto chave pra esse tempo ser maior ou não. Uma faculdade bem feita faz muita diferença.

    ResponderExcluir
  5. Eu já li e sigo dezenas de sites sobre concursos. E essa - apesar de bem simplória - foi uma das análises mais corretas quanto a o que eu tenho visto na prática. Adiciono: é impressionante como você, com pouca idade, consegue ver muito mais claramente o tempo necessário para preparação em concursos do que MUITOS professores de cursinhos que já são servidores públicos há muito tempo. Parece-me que o perfil dos concurseiros e o "jogo" do concurso público brasileiros mudaram vertiginosamente nos últimos anos, e alguns profissionais da área não se atualizaram. Parabéns, portanto, pela clareza nas ideias e acuracidade na visão.

    Ass.: Márcio Cavalcanti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

      Excluir
  6. Qual foi o seu tempo de estudo, Eduardo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Passei ainda na Faculdade. Fiz o texto com base no que normalmente ocorre.

      Mas lhe digo: no meu caso, foram 5 anos muito bem estudados na Faculdade. Me preparei para concursos desde o primeiro ano.

      Excluir
    2. Eduardo, se passou já na faculdade como fez com os três anos de prática?

      Excluir
    3. Acho que antigamente não tinha esse requisito

      Excluir
  7. Concordo plenamente! Ainda mais quanto às diferenças de cada um, que influenciam diretamente nesse tempo percorrido. Particularmente, fiz uma faculdade fraca, pela instituição e principalmente pelo meu interesse naquela época. Só depois de um ano de formado resolvi começar a focar em concursos jurídicos, inicialmente os municipais, pois são minha única forma de obter prática profissional, vez que ocupo emprego público incompatível com o registro na ordem. Venho estudando já há dois anos, aprendendo a aprender a cada dia, otimizando meus métodos, ponto em que, na minha opinião, reside a principal diferença entre os candidatos, encontrar o melhor método PARA SI! Graças a Deus e por muito esforço, hoje pela manhã foram publicadas as notas e obtive a maior delas para Advogado de uma Câmara Municipal. Depois de todos esses anos dei mais um e pequeno passo nessa verdadeira maratona. Muito obrigado pelo excelente conteúdo disponibilizado, Eduardo. Bons estudos a todos!

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. Parabéns por esse texto não ser mais uma dica mirabolante de como passar num concurso. É um texto real, claro, elucidativo, que consegue alcançar a realidade de muitas pessoas que estão na dúvida sobre estudar para concurso público ou se dedicar à outra área. Mostra o que de fato um possível candidato (a) tem que fazer nessa empreitada com a lucidez de quem sabe que não pode se valer do sonho do cargo público para vender promessas de aprovação! Não é por menos que seu trabalho vem sendo amplamente divulgado nas redes sociais, pela sua honestidade e comprometimento com a questão, sem fantasias, mas sim mostrando que o caminho é um só:muito estudo e boa preparação!Obrigada por essas palavras! Acredite, elas fazem muita diferença na vida das pessoas!

    ResponderExcluir
  10. Pelo relato parece quase impossível alguém com idade de 40 anos passar em concurso público, é isso mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não. De forma alguma. O que acontece é que pessoas nessa faixa etária tem outras prioridades e uma vida já estável, por isso não tem condições de estudar ou não estão dispostos a o fazer.

      Escrevi sobre isso hoje. Veja lá.

      Eduardo

      Excluir
    2. Eu li seu texto sobre os quarentões (rsrsrsrs) e esse tb! Assim como Márcio Cavalcanti, fico impressionada com sua perspicácia e clareza!
      Agora... Fiquei com sérias dúvidas sobre como fazer quando uma quase quarentona, com filho, resolve estudar para concurso de PGE, após 10 anos de formada... O 1º passo eu já dei: Comprei seu Edital Esquematizado, o qual, diga-se de passagem, é PERFEITO!!
      Entretanto, ainda tenho muita dificuldade de fazer um estudo sistematizado de tantas matérias e assuntos com tão pouco tempo disponível...
      Se vc puder fazer um post nesse sentido (rotina de estudos para quem trabalha, tem filho e resolve voltar a estudar após certo tempo de formada), eu ser-lhe-ei ainda mais grata do que já sou!!
      PARABÉNS!!

      Excluir
    3. Também estou nessa (quarentões) trabalho o dia todo, tendo somente as noites. Mas vamos lá! Chegaremos também!!

      Excluir
  11. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  12. Bom dia! Eduardo, parabéns, foi muito claro e objetivo! Isso é o que nós concurseiros precisamos! Já estou há quase 1 ano estudando e realmente estou vendo que é isso.. que o primeiro ano é o de criar uma boa base jurídica! Importante não desistir, pois caminho é árduo!

    ResponderExcluir
  13. Caro Eduardo, o seu trabalho aqui no site e nos editais esquematizados é fantástico, meus parabéns. Quanto ao texto, apesar de não ser concurseiro ativo ainda, venho me preparando para concursos de forma árdua desde o 8º Período da Faculdade (estou no 10º), e, de fato este é o tempo em média dos aprovados nos diversos concursos que há, pelo que pude presenciar com relatos. Quanto ao Prof Márcio Cavalcante, sem palavras, apenas obrigado. Passei a ler os informativos publicados no site a partir do 5º Período da Faculdade e hoje sou devoto do material kkkkkkkk simplesmente excepcional.

    ResponderExcluir
  14. Claro, objetivo, pragmático! Bravo!

    ResponderExcluir
  15. Exatamente EDUARDO. Como você conhece bem minha trajetória, o tempo para minha aprovação em um concurso de alto nível, como a PGM Salvador, foi de 2 anos e 4 meses. Nesse período foquei meus estudos em procuradorias: livros, cursos, bons materiais, aprender a melhor técnica de estudar, etc. Teve reprovações, mas não me desanimei. A gente segue em frente e quando estamos prontos, nós não percebemos isso. Só percebemos quando vemos o nosso nome na lista de aprovados. Digo: é uma sensação incrível! Você ficará muitos dias dormindo pouco, sem acreditar. É tudo fruto de um trabalho contínuo e árduo. Só não consegue quem desiste, e tem gente que desiste quando já está muito perto! Por isso Avante minha gente! Ao sucesso!

    ResponderExcluir
  16. Concordo. Estudei desde o terceiro período de faculdade e no ano da colação grau (2012) saiu edital de advogado da União. Nunca tinha feito concurso e deu pra passar. Obs.: o fato de não fazer concurso nao significa que eu nao treinava em casa. Fazia muitas questões cespe e esaf (passei na primeira fase pfn mas nao fui fazer a segunda).

    ResponderExcluir
  17. Eduardo, pela sua redação e seu depoimento, acredito que estou no caminho certo , sou formada em adm e decidi cursar faculdade de direito já com foco nos concursos , estou fazendo pós em direito público também - então meu tempo é dedicado ao trabalho que realizo pelo horário matutino e o restante tarde e noite aos estudos. Me dedico muito na faculdade e toda prova que faço é como se eu estivesse indo prestar um concurso rs , fora questões de concurso e questões do exame que estou constantemente fazendo. Estou 2 ano de direito e 1 ano da pós . Espero que nesse ritmo eu colha bons frutos. O Objetivo a curto e médio( ainda na faculdade) seria analista tribunal e depois que estiver formada Defensoria ou promotoria. : ) Obrigada pelas dicas :)

    ResponderExcluir
  18. Belas palavras, Eduardo. Obrigado! Li esse texto hoje, depois de lembrar e remoer minha reprovação na PFN, na segunda fase. Todo dia, vem uma certa tristeza de lembrar desse certame! (tudo que quero é esquecê-lo! kkk) No primeiro ano de formado, consegui passar na primeira fase da PFN 2015 (inclusive, com a ajuda de um edital esquematizado do seu blog). Mas, reprovei na segunda fase (com uma nota total boa nas discursivas, contudo, faltando poucos pontos em uma das provas para atingir o mínimo). Foi uma reprovação difícil (acho que todas devem ser, né?), porque eu realmente estava acreditando que iria conseguir, sobretudo, porque estava em uma boa posição na primeira fase. Mas, enfim, faz parte do jogo. Recentemente, fui aprovado na primeira fase da PGM São Luís (com 82% de aproveitamento).
    Mesmo que não dê certo o restante desse certame, vou tentar me tranquilizar pelo fato de que tenho pouco mais de 1 ano de formado e comecei a estudar para procuradorias apenas no final da graduação. Assim, pelo menos, até agora, deu certo passar em primeiras fases...enfim.. Espero que suas estatísticas se efetivem!

    ResponderExcluir
  19. Texto 'pé no chão', realidade pura!

    Não existe fórmula mágica. Realmente!

    É muito trabalho e dedicação. A metodologia é, sim, a bússola. Mas nada dispensa o trabalho diário do estudante focado e comprometido com o resultado: aprovação.

    Portanto, foco, perseverança e ação.

    Avante.

    ResponderExcluir
  20. Acho que é exatamente isso. Não estudei nada durante a faculdade e com 4 meses de estudos após formada (no edital, estudando 12h por dia) acertei 51 questões na PGE/PR. Depois de 1 ano, acertei 66 questões no MP/GO (praticamente foi o ano todo de estudos a 12 h por dia).
    Agora aguardemos o MP/PR, 12 h de estudos por dia de novo, 5 meses após o MP/GO.

    ResponderExcluir
  21. Ainda na graduação e já decidido: FOCAR no MP. Julgo de grande importância o foco na carreira a seguir. Previsão mediana: 4 anos de preparação.

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!