Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

DEPOIMENTO DE APROVADO + DICAS + BIBLIOGRAFIA- DIMITRIUS BERND- TÉCNICO JUDICIÁRIO TRT3 E TRT4.

Bom dia amigos do blog, 
Hoje vamos publicar o depoimento do nosso querido leitor Dimitrius, aprovado no TRT4 e TRT3 para o cargo de técnico judiciário. Muito legal publicar o depoimento de leitores aprovados. Mande seu depoimento para nós que publicaremos com muito prazer. 
Ao Dimitrius, nosso parabéns e agradecimento por publicar sua história com todos nós. 

Ao texto: 

Vou começar me apresentando, meu nome é Dimitrius Bernd, sou gaúcho e há um mês completei 22 anos, fui aprovado para o cargo de Técnico Judiciário para o TRT 3ª e para o TRT 4ª (Meu estado) sendo nesse em 5º lugar na classificação geral. Lendo os demais depoimentos eu me sinto um “café com leite”, mas acho que a minha “inserção nesse mundo” pode auxiliar muita gente porque acredito que a grande maioria almeja ao cargo de Técnico Judiciário por causa de situações semelhantes e não somente por conta do inicio da faculdade.
Acho válido fazer algumas observações acerca da realidade dos certames para TJA/AA e também sobre o perfil das pessoas que o fazem, sendo assim, vou tentar alinhar um pouco da minha vida com minha rotina e trajetória nos estudos.

Na minha concepção, essa etapa é a mais perversa com as pessoas, pois as provas mudaram totalmente de como era antigamente e, em contrapartida, não têm um padrão definido, o nível de acertos é altíssimo e são totalmente desconexas umas das outras. Além dos fatores externos – por ser a época de maior carência financeira –,  há um assédio muito grande por parte dos “cursinhos”, que agem de má fé mesmo! Já que não há materiais de qualidade para cobrir totalmente os editais.
Sou de uma família simples que nunca prezou pelos estudos – mas que sempre me apoiaram em tudo-, estudei o fundamental e o médio em escola pública e aos meus 17 anos eu já trabalhava durante o dia – até mesmo no braçal- e estudava à noite em uma escola estadual. Sendo assim, eu nunca levei a serio meus estudos e, em verdade, nunca tive um grande exemplo ou incentivo para tal e inúmeras vezes ouvia de alguns professores “Deus da asas a quem não sabe voar” alegando que eu era um “desperdício”. Já com 18 anos, tive uma oportunidade de trabalhar como vendedor de linhas telefônicas e comecei a crescer na empresa e a ganhar dinheiro, foi ai que minha vida começou a engrenar – eu já morava sozinho e me sustentava - porque ganhava relativamente bem em relação aos meus pares e comprei meu primeiro carro 0km e alguns meses após tinha feito vestibular para ingressar no Direito – já com 20 anos – porque, felizmente, tinha total condições de pagar – não tinha federal/estadual próxima à minha cidade - e foi quando minha vida parecia encaminhada que tudo “virou”. À revelia do meu ex-diretor, todos os funcionários começaram a receber a metade e com atrasos e minha vida virou um “inferno” porque me sentia sujo com aquela situação e não tinha alternativas porque não havia outro emprego semelhante  e continuei “no jogo” com a esperança que as coisas se regularizassem, eu poderia ter feito o FIES – e até iria- e seguir cursando a faculdade mas iria levar uma vida totalmente indigna já que além da preocupação com a faculdade eu teria que me preocupar com casa, comida, internet e demais contas relativas ao lar. Com efeito, foi então que eu fui aconselhado por um amigo – ou anjo – que me aconselhou a olhar para os concursos e, desde então, eu larguei tudo, sim, tudo! Eu simplesmente larguei a faculdade, parei de trabalhar, na rescisão da empresa me desfiz do meu carro e pensei “vou estudar até onde der”... No meio do caminho até perdi a namorada e me desfiz de tanta coisa material para tentar me manter competitivo – mês passado vendi meu falecido iPhone 5S pra pagar uma futura viagem ao Paraná (TRT 9ª) – mas no final das contas tudo deu certo!
Eu fiz questão de falar das dificuldades porque o que mais vejo é gente que tenta vincular a aprovação à condição financeira e isso não é verdade! A aprovação, por pior, ou melhor, que seja nossa condição, é resultado do nosso esforço e dedicação em busca de um objetivo.
Sem mais delongas, vou apenas falar a parte dos meus estudos, eu comecei a estudar do zero para concursos, mais ou menos, na data do TRF 4ª e como eu sabia que não iria dar tempo eu comecei a cobiçar o TRE/RS, que todos os cursinhos anunciavam que seria em Dezembro de 2014, e o “idiota” aqui só foi mais um dos que perdeu R$ com cursinho e livros de eleitoral. Após meses esperando, resolvi fazer o CNMP em Março de 2015 e sim, eu nunca tinha feito um concurso na vida e logo de cara viajei até Brasília fazer porque achava as matérias relativamente conexas e eu já conhecia a FCC... Fiquei doente na minha ida à Brasília e não passei, mas também não me decepcionei porque estava quase “morrendo” fazendo aquela prova. Desde então, ficava em dúvida se seguiria DPU+CD+SF (Cespe) ou TRT’s (FCC) e confesso que sempre quis a DPU por causa da função social (porque desconhecia a Justiça do Trabalho), resolvi conhecer um pouco mais sobre cada órgão e me apaixonei pela justiça do trabalho, pois eu me via ajudando as pessoas que passaram pelas mesmas dificuldades que eu e também pela hipótese do TRT/RS.
A essa altura do campeonato, eu já tinha lido todos os livros existentes de técnicas de estudos para concursos (Não recomendo o WD porque fala muito, mas diz pouco e sei que a maioria nem termina de ler, em contrapartida o Meirelles tem um livro enxuto e bem motivador) e via a oportunidade de começar fazendo a coisa certa. Eu já utilizava o instagram e via o que “os que tinham mais seguidores” faziam e isso foi a maior burrice que eu fiz na minha vida porque a grande maioria ali nunca tinha passado em nada! Então comecei a procurar quem mais tinha sido aprovado – Edu, Samer Agi, etc –, também frequentei muito a parte “Como fui aprovado” do fórum concurseiros e notei que todos que realmente passam em concurso simplificavam ao máximo! Grifos, agendas e um edital horizontalizado já seriam o suficiente. A partir desse momento eu comecei a mudar minha forma de estudar e isso foi um grande diferencial porque eu “andava” pela matéria! Só que como meu edital era 1/3 dos grandes concursos, eu comecei a fazer uns mini resumos só com as palavras chaves e nas minhas revisões eu pegava uma folha de rascunho e saia riscando “tudo que eu deveria saber” para dar o “output” da informação.
O edital de Minas saiu um pouco antes do que eu esperava e foi um grande susto porque o esperava mais tarde. As provas de técnico e analista dos últimos concursos da FCC foram decididas na parte de Conhecimentos Gerais, notadamente Português, isso fez com que a minha maior preocupação não fosse a parte que eu ainda deveria aprender, mas sim a parte que eu “já sabia” (Obs.: por isso que digo que muita gente perde prova porque escuta a opinião alheia ou , até mesmo, de professores bons mas que só querem vender seu peixe! Em todos os grupos na internet o pessoal debochava de CG e depois eu só lia o choro). Ademais, antes da prova de Minas saiu o edital do RS e meu coração só pensava “ficar perto dos meus irmãos” e, por mais que eu quisesse, não conseguia manter o foco em MG. Na minha viagem à Belo Horizonte, eu perdi meu voo de ida e meu avião de SP->BH deu pane na ida e levei dez horas em algo que era para menos de duas... Imprevistos acontecem e temos que levar numa boa e não se abalar. Vou tocar em um ponto importante, o dia seguinte, anterior à prova, eu estava no hotel revisando me sentia muito mal porque sabia que estavam tendo inúmeros “aulões” e eu, de certa forma, me sentia prejudicado por não estar ouvindo algo do professor – no final explicarei sobre isso. Eu entrei bem tenso para a prova porque sabia que tinha desacelerado por conta do RS. Todavia, eu quase gabaritei a prova de MG, mas fui prejudicado na hora da minha redação por uma lambança lá do meu fiscal e sabia que iria perder posições na pontuação porque não tinha dado tempo de passar a limpo minha redação, mas tinha a certeza que seria aprovado e minha nomeação seria lá pro fim do certame.
Voltando de minas eu só pensava “RS, RS, RS”, a prova seria em menos de 50 dias e tinham 5 matérias novas (Informática, Mat/RLM, Administração Pública, Gestão Pública+Orçamento e Regimento). Eu simplesmente estava exausto por conta de minas e não conseguia alcançar as metas que me propusera, não tinha tempo para me planejar como deveria e, durante minha preparação, meu notebook estragou – perdi meus materiais! Naquele dia, eu fiquei extremamente abatido e quase larguei tudo de mão, aliás, minha confiança foi enterrada e velada naquele mesmo dia. Sentia-me mal todo dia porque via meu grande sonho se escapando pelos dedos e não podia fazer nada... Acabei me mudando (mudança mesmo “de mala e cuia”) na semana anterior à prova e com isso ganhei novos ares e fui pra prova faltando alguns pontos do edital. Eu fui a um pré-prova do Marcelo Sobral e “renovei” minhas energias porque via várias pessoas que já faziam TRT há anos e isso me servia de consolo (Recomenda o pré-prova? Recomendo sim! Mas não pela matéria e sim pela confiança/estima).
No dia da prova meu irmão estava doente e eu dormi muito mal naquela noite, ou seja, tinha tudo para dar errado! Entrei na sala bem chateado, mas quando abri a prova e vi que tinha vindo TODA sumulada em trabalho e processo do trabalho – eu sabia que ali eu ia fechar e fazer gordura – e não deu outra! Se existe uma coisa que aprendi nos dois concursos que eu fizera, foi que na FCC não da pra ter medo de perder ponto na objetiva pra ganhar na discursiva e isso é sério! Eu não tive de chutar questão que eu saberia responder, mas que mataria muito tempo e com isso perderia pontos na discursiva (Confesso que acho que exagerei um pouco por causa do meu trauma em MG) e sai de lá sorrindo porque foi meu conhecimento de longo prazo que me fez passar!
Agora só algumas observações pertinentes: A prova de técnico do RS foi mais difícil que a de AJAJ e isso é uma realidade frequente pra eliminar a concorrência, o corte foi 4 pontos menor para técnico do que pra AJAJ e o edital foi maior! No Paraná está acontecendo a mesma coisa: Edital maior para TJAA e aposto que a concorrência será o triplo ou o quádruplo. Então, não da pra técnico querer estudar por material de técnico, tem que estudar pelo mesmo material que Analista. Tem caído doutrina, sumula – inclusive do STF -, OJ nas provas de técnico... Além disso, a redação é de tema geral. Apenas uma ressalva para não falarem que eu exagerei: acho o Português de analista sempre mais elaborado que o de técnico.

Matérias + Biografias
Português – De longe, a matéria que pode te tirar fora do concurso! É ou 8 ou 80, não tem como ir “dou um jeito” ou ter parâmetro se tu não sabe. Arrisco-me a dizer que o Português da FCC é o mais difícil dentre as bancas e certamente a matéria que mais perdi tempo estudando tem que dominar! Passei por todos os professores possíveis e só digo uma coisa: ou é aluno da Flávia ou não fecha a gramática da Prova, porque nenhum professor – atualmente – ensina no mesmo nível da banca como ela. Minha ressalva fica que ela não é o bicho para redação.
Mat/RLM: A FCC é muito sutil nessa matéria e me arrisco a dizer que o pessoal erra mais por medo do que por outra coisa, a banca não cobra aquelas expressões gigantes, mas sim a interpretação de um problema que se resolve com expressões básicas – o que para alguns é pior. Eu estudei pelo Jairo do CERS, mas o Carlos Henrique é bem melhor.
* Acredito que português e matemática são materiais mais fáceis de estudar por aula do que por livros
Informática: Matéria totalmente surreal! Aliás, é ridícula a forma como a Carlos Chagas a cobra e nenhum material no mercado vai ser suficiente para que se vá seguro à prova. Vi vários materiais e usei o da Patrícia Quintão (Ponto dos Concursos), o PDF é bem organizado, mas, honestamente, não caiu nada daquilo na prova! O que acertei foi o que lembrava me mexendo no computador. Minha dica é: naveguem pelo computador (A FCC usa o caminho do painel de controle no modo Categorias e por isso muita gente fica confusa) 
Livro: Infelizmente não existe nenhum livro que se possa usar taxativamente e o aluno deve estar ciente disso, mas de todos os materiais que eu vi, eu prefiro o da Patrícia Quintão.

Direito Constitucional: Matéria que, geralmente, o povo todo acerta, mas que vem cobrando Súmulas (tanto em MG como no RS) e as questões são de aplicação da lei no caso concreto, portanto nada mais de decoreba
- Obs: eu vejo muita gente estudando Constitucional por aquele livro do Paulo L. – Coleção Tribunais (eu tenho ele) e recomendo que não estudem por ele porque vão, mais cedo ou mais tarde, perder questão na prova porque o livro não atende às exigências da realidade dos concursos.  
Livro: Pedro Lenza ou os PDF do Estratégia _Ahn? PDF? Sim! Só que já adianto que o total dos PDF será maior que o livro do lenza, mas é completamente focado e cheio de exercícios... Deem uma olhada!

Direito Administrativo: Geralmente sempre vêm as mesmas matérias, mas, ainda assim, tem gente que erra. Minha maior sugestão é: esqueça isso de “Só cai Di Pietro” porque no CNMP (2015) eles cobraram classificação do Hely, já caiu em 2015 também MP/Magis como agente político, convalidação como ato vinculado (P/ MSZDP é discricionário), então quem vai ir pra prova vai ter que saber algumas classificações das duas correntes, por exemplo, a de agentes públicos e ir flexível para prova
Livro: Comecei pelo Knoplock e depois passei para o Alexandrino e o recomendo cegamente – ainda que falem muito bem do Matheus Carvalho – eu sempre acertei todas as provas que fiz com a obra daquele.

Direito do Trabalho: Na minha concepção, a matéria mais fácil do concurso e tem que gabaritar! Cai sempre uma historinha! Dois aspectos importantes: técnico tem que saber todas as sumulas/ojs porque a banca as aplica no caso concreto e em 2015 a FCC ta com uma mania de colocar datas nos enunciados e encher de linguiça abaixo... Portando, cuidado!
Livro: Dto. Do Trabalho para Analista – Henrique Correia, mesmo que seja para técnico, aliás, acho que é o melhor livro da “coleção tribunais”

Processo do Trabalho: Sempre caem recursos e quando cai questão que aplique subsidiariamente o CPC a maioria acaba errando! Súmulas e OJ’s são imprescindíveis 
 Livro: Processo do Trabalho para Analista – Elisson Miessa

Administração Púb: Nem sempre cai, mas quando cai, torna-se a matéria mais difícil do concurso por causa de sua subjetividade e insuficiência de materiais de qualidade no mercado. Para a prova do RS eu usei uma apostila+aula, pdf do estratégia e mais um livro.
Livro: Honestamente? Não recomendo nenhum- nem Paludo, nem Rennó, nem Carranza - para que depois não me culpem, mas faço uma observação àqueles que só estudam pelo PDF do Estratégia (Rennó) ou pelo livro da Carranza (Coleção Tribunais) é que esses materiais isoladamente são totalmente desconexos das realidades da prova e vão ter que chutar. Vídeo aulas podem ser uma boa opção para minimizar essa lacuna.

Orçamento: Recomendo o Sérgio Mendes, mas como o livro dele está desatualizado por causa da EC 86/2015, procurem os PDF’s (ele da aula no Estratégia). O PDF do Rennó é insuficiente e o livro do Paludo, assim como o do Mendes, está desatualizado.
Redação: Passei por vários professores e cheguei à conclusão de que muitos, infelizmente, ensinam errado! Eu, depois de vários professores, acabei fazendo aqueles pacotes de correção com a Lilian Furtado e foi quem, de fato, me ensinou a como fazer uma redação para a FCC – que me rendeu a aprovação.
Temas Gerais: É um ponto delicado, eu confesso que apesar de tê-las lido, eu nunca me adaptei àquelas revistas de atualidades. Eu acompanhava  no youtube um canal gratuito chamado Maratona de Atualidades, que na minha opinião é o melhor. Além disso, acabei comprando um curso do Rodolfo Gracioli de atualidades já para a FCC! Mesmo o cursinho que ele grava as aulas ser totalmente desconhecido e meio bagunçado, o conteúdo faz valer a pena.


** Em algumas matérias, como esses livros são “pequenos”, eu acabava assistindo a algumas aulas, mas sempre preferi os livros pela celeridade e flexibilidade para o planejamento.

 

Bom, acho que minha contribuição foi válida para quem busca um norte em concurso de técnico e/ou analista com a FCC. Vou concluir com uma parte de um texto que o Samer Agi escreveu:


“[..]Genética não define sucesso. Quem foi o filho de Napoleão? Ninguém o sabe. Quem eram os pais de Einstein? As revistas não explicam.

Lição número um: sua origem não define sua história. O seu sucesso só depende de você. Sempre foi assim. Sempre será assim. [...]”

Sei que minha trajetória está apenas começando e partir da semana que vem já vou começar a estudar para concursos “de alto escalão” e graças a Deus não vou ter mais que enfrentar esse tipo de prova ou ter que vender meu rim pra estudar, mas que fique essa mensagem: É possível sim, que qualquer pessoa, independente de condição financeira ou situação emocional ou social passe em qualquer concurso público! Às vezes temos problemas que são verdadeiras lições e eu tive essa virada na minha vida, assim como sei que muitos têm situações semelhantes que pensam em desistir. E gente, com dedicação, esforço e humildade para aprender com os outros, por mais difícil que seja nossa situação, dará certo!

No instagram @concurseiiro da pra conhecer foi minha rotina de estudos pelas minhas fotos antigas. Grande abraço a todos e espero ter ajudado de alguma maneira! Obrigado Edu pela oportunidade!

Era isso meus amigos. 

Bons estudos a todos, e novamente obrigado ao Dimitrius. 

Eduardo 

9 comentários:

  1. Belo depoimento, só uma dúvida quem é essa professor de português? Ela dá aula em qual cursinho?

    ResponderExcluir
  2. Lucas, o nome da prof e do cursinho dela é Flavia Rita. Uma sugestão: dê uma olhada no youtube, ela tem um canal com algumas aulas/temas específicos, e vê o que tu acha das aulas dela. Na minha concepção, é a única que salva pra gramática da FCC

    ResponderExcluir
  3. Depoimento realmente inspirador. Poderias dizer como fazias o esquema dos horários de revisões? 24h, 48h, 7 dias, 15 dias?

    ResponderExcluir
  4. Belo dedepoimento Dimitrius! Te sigo no IG e adoro suas dicas! Tão novo na idade e muito experiente com a vida.. Se 1/3 dos jovens pensassem como vc, tenho certeza que viveríamos em um país onde a educação faria a diferença! Resolvi sair do mercado de trabalho para dedicar exclusivamente aos estudos! Obrigada pelas dicas .. Sucesso nessa nova etapa!

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pela superação e conquista.

    ResponderExcluir
  6. Primeiramente, meus parabéns, bastante inspiradora sua história, uma verdadeira conquista com dedicação e luta!
    Sobre suas dicas, fiquei sentindo falta de saber sobre a leitura das leis e sobre resolução de questões, se puder fazer um resuminho desses dois pontos.

    Obrigada, e, novamente, parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Impressionada contigo. Parabéns pelo concurso e por conseguir passar a realidade de um concurseiro (sem mascarar nada) e, sobretudo, passar dicas que valem a pena.

    ResponderExcluir
  8. já vou dizendo - o amigo dai de cima está corretíssimo. Só vou dar uma dica extra : esses livros que estou lendo atualmente são os melhores e não são tao caros, pois estão caindo questões diretamente deles.

    Português - Fernando Pestana (com ele não precisa de curso e é o livro de gramática mais completo da atualidade.)

    Informática e Raciocínio Lógico: (coleção tribunais - Editora Juspodivm)

    Constitucional: Manual de Const (Nathalia Masson)- Editora Juspodivm

    Administrativo: Manual de Adm (Matheus Carvalho)

    Civil: Manual de Civil (o único da Editora Juspodivm - autor : Marcelo de Jesus et 2 autores).

    Processo Civil: Vol Único (Rinaldo Mouzalas et 2 autores- Editora Juspodivm

    Trabalho (José Cairo Jr- Editora Juspodivm

    Processo do trabalho (José Cairo Jr)- Editora Juspodivm.


    Temas atuais de Redação para TRT ( coleção tribunais editora juspodivm

    Redação ( coleção tribunais- editora juspodivm)

    Vade Mecum Rideel - Acadêmico (comprem o mais atualizado- no caso agora o de 2017 vai sair em janeiro.

    Sumulas e OJs Comentadas e Organizadas por assunto (editora juspodivm) = para trabalho e processo do trabalho

    Sumulas do STF- comentadas e organizadas por assunto ( editora juspodivm)

    Sumulas do STJ - Comentadas e organizadas por assunto (editora juspodivm)

    Com esses livros voce mata qualquer questão FCC para Tecnico ou Analista dos TRTS

    Obs: não comprem todos da coleção tribunais. Somente o de raciocínio lógico, informática,Temas de redação para TRT e Redação da coleção são bons. O resto vão todos pelas doutrinas que foram indicadas.

    OBS FINAL: resolvam questões de prova dos TRTS, na internet voce acha gratuitamente pela PCI concursos. Não gastem dinheiro em livros de resolução de questões. Treinem sozinhos por tudo que foi indicado e começem a emitir juízo de valor sobre o que é apresentado. Só assim aprenderá.

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!