Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

PRÉ-QUESTIONAMENTO ATRAVÉS DO VOTO VENCIDO: ALTERAÇÃO IMPORTANTE DO NOVO CPC! ATENÇÃO!!!

Olá, meus amigos!

Quem por ai fez a prova da PGM-Fortaleza? Como se foram de prova!? Espero que muito bem!

Voltando ao tema do dia, a dica de hoje aborda uma interessante e importante alteração trazida pelo NCPC a respeito do pré-questionamento de matérias no processo civil. É outra mudança relacionada ao pré-questionamento, lembrando que já tratei de outra em postagem recente.

Inicialmente, devemos lembrar que o pré-questionamento consiste, basicamente, na prévia manifestação do tribunal de origem sobre a matéria que as partes pretendem discutir em sede de recursos excepcionais.
Ou seja, entende-se pré-questionada a matéria quando o tribunal efetivamente apreciou o tópico específico que a parte quer discutir, mesmo que não tenha feito citação de artigo de lei, mas apenas versado sobre a matéria.

A respeito, é necessário saber que – sob a égide do CPC/73 – entendia-se que o pré-questionamento só poderia ser aferido pelo que constasse do acórdão e do voto vencedor (condutor do acórdão), de modo que as questões veiculadas apenas no voto vencido não teria qualquer efeito para o fim de pré-questionamento.

Em outro termos, se a parte alegasse a matéria de prescrição, mas apenas o voto vencido tratasse da prescrição, entedia-se que a matéria “prescrição” não estava pré-questionada, o que inviabilizava o uso dos recursos excepcionais (especial e extraordinário).

Este entendimento era tão forte que o Superior Tribunal de Justiça editou a Súmula nº 320 que dispõe: “A questão federal somente ventilada no voto vencido não atende ao requisito do prequestionamento”.

CONTUDO, meus amigos, este entendimento foi superado com a entrada em vigor do novo CPC que trouxe norma específica prevendo, expressamente, o uso do voto vencido para fins de pré-questionamento. Eis a previsão do art. 941, § 3º, do CPC:

“Art. 941.  Proferidos os votos, o presidente anunciará o resultado do julgamento, designando para redigir o acórdão o relator ou, se vencido este, o autor do primeiro voto vencedor.
[...]
§ 3º O voto vencido será necessariamente declarado e considerado parte integrante do acórdão para todos os fins legais, inclusive de pré-questionamento.” (grifos acrescidos)

Notem, meus amigos, que se trata de evidente caso de reversão jurisprudencial pela via legislativa, na medida em que o entendimento sumulado do STJ foi superado pela superveniência de nova legislação processual.

Portanto, com a entrada em vigor do novo CPC, é absolutamente possível considerar pré-questionada a matéria que constou apenas do voto vencido, haja vista que o voto vencido é parte integrante do acórdão, nos termos do art. 941, § 3º, do CPC.

Fiquem atentos a esta importante mudança!


João Pedro, em 11/04/2017.

7 comentários:

  1. Show de bola!

    Sabe onde encontramos algum gabarito extraoficial da prova de PGM Fortaleza? Nem que seja apenas algumas matérias.

    Forte abraço e parabéns como sempre pelo blog.

    ResponderExcluir
  2. Importantíssima dica João. Processo civil sempre pesa bastante nas provas. Obrigado.

    ResponderExcluir
  3. João Pedro, obrigada por mais uma dica! Gostaria de saber se posso sugerir um tema para a próxima postagem... e se esse tema poderia ser a possibilidade de o Estado adquirir bens particulares por usucapião.

    ResponderExcluir
  4. O entendimento antigo do CPC-73 caiu em uma das assertivas do TJPR

    ResponderExcluir
  5. Esse tema caiu no TJPR. Boa observação. Obrigado.

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!