Dicas diárias de aprovados.

POR QUE A PFN É O CONCURSO MAIS FÁCIL (DE PASSAR) DA AGU?

Como é do conhecimento da maioria de vocês,  a AGU anunciou que pretende realizar, em 2022, concurso para suas principais carreiras:

  • Advogado da União.
  • Procurador Federal. 
  • Procurador da Fazenda Nacional. 


E quando falamos em cargos que pagam mais de 30 mil, quase o topo do funcionalismo federal, não tem moleza em nenhum dos certames, mas aqui podemos falar que passar na PFN foi, nas duas últimas provas, mais fácil de passar do que nas outras carreiras da AGU.


Veja bem: eu disse que foi mais fácil de passar, e não que a prova é mais fácil em si. A prova da PFN é dificílima (mais complexa que as outras, diga-se). 


Explico essa confusão. 


Primeiro que a prova da PFN, nos últimos dois concursos, "concorreu" com a de Advogado da União. Foram provas em dias bastante próximos, o que naturalmente fez sua concorrência diminuir. 

É estatístico: a maioria dos candidatos prefere fazer a prova de AU, tradicionalmente mais concorrida que as demais da AGU. E o foco é totalmente diferente, então focando para AU muitos candidatos fizeram a PFN no embalo. 

Esse é apenas um motivo acessório para a prova da PFN ser mais fácil de passar do que as outras, mas agora vem o principal. 


Então Edu, qual o verdadeiro motivo da prova da PFN ser mais tranquila de passar? 

A resposta é simples, SE NADA FOR ALTERADO NA ESTRUTURA DA PROVA, PARA PASSAR NA PFN VOCÊS PRECISAM SABER BEM APENAS 06 MATÉRIAS, SENDO TRÊS DELAS PEQUENAS/MÉDIAS. 

Entendam pela divisão das questões: 

Direito Constitucional – 20 questões 
Direito Tributário – 20 questões (matéria de pequena para média)
Direito Processual Civil – 20 questões 
Direito Econômico e Financeiro – 10 questões (matérias pequenas)
Direito Administrativo – 10 questões 
Direito da Seguridade Social – 4 questões 
Direito Empresarial – 5 questões 
Direito Civil – 5 questões 
Direito Internacional Público – 2 questões 
Direito do Trabalho e Processual do Trabalho – 2 questões 
Direito Penal e Processual Penal – 2 questões

Assim, se vocês souberem bemmmm Constitucional, Tributário e Processo Civil, temos 60 pontos. Se forem bons ainda em Administrativo, Financeiro e Econômico, já chegamos a 80 pontos. Sabendo apenas custeio em previdenciário, chegamos a 84. Por fim, costumam ser cobradas 5 questões de civil e 5 de empresarial, ambas simples. Ou seja, 94 pontos. Vocês não precisam saber praticamente nada de penal, processo penal, trabalho, processo do trabalho e internacional (apenas ter noções muito básicas dessas matérias). 

Agora se você não souber nada de penal, processo penal, trabalho, processo do trabalho, internacional público e privado (e ainda agrário, benefícios previdenciários, ensino para PGF) nem vá fazer a prova de AU e PGF, por exemplo. Chance 0 de aprovação em uma prova CEBRASPE. 

Poucos concursos, hoje em dia, permitem a aprovação sabendo 06 ou 08 matérias no máximo. Isso é uma raridade, que a PFN permite. 

Soma-se a isso o grande número de vagas, então o corte normalmente não é alto. Muito pelo contrário, o corte costuma ser baixo. 

Já explicamos em outra oportunidade: A primeira coisa que dizemos a nossos alunos: a prova de Procurador da Fazenda Nacional será a mais específica e é aquela que concentra muitas questões em poucas matérias, então é ideal para quem tem uma base jurídica um pouco menor e menos formada. Poucas matérias concentram muitas questões. Sendo bom em Constitucional, Tributário, Financeiro, Econômico, Administrativo, Processo Civil, Empresarial, Civil e Previdenciário, ou seja, 08 matérias, vocês já possuem 94% da prova. 

Mas agora vem o risco: QUEM ESTUDA FOCADO NA PFN VAI TER CHANCES SÓ PARA A PFN (e em procuradorias estaduais/municipais similares), ou seja, dificilmente terá alguma chance para AU ou PGF, pois muitas matérias não serão estudadas. 


Mais que isso. A prova da PFN pode sim mudar radicalmente. A ESAF anunciou que não vai mais fazer provas, então a banca da PFN não mais será a mesma. Mas nada se anunciou sobre a mudança da estrutura da prova. 


Pode ser que mude, massss pode ser que não mude, e quem estudar focado na PFN, se nada mudar, está em grande vantagem.


Mas agora, se tudo mudar, estará em grande vantagem na PFN quem tiver uma base mais ampla, nesse caso quem estuda focado para AU e PGF. 


Vale o risco? 


Vocês decidem. 


Para mim vale, pois não acredito em mudança estrutural significativa na prova. 


Por fim, baixem um material grátis com um ranking de importância de cada matéria para os concursos da AGU: 

Para baixar o material, cadastre-se abaixo:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLScs_IrlDfIIGGz7OKHrAkxb1Z5GmLnYpkGDSVIT8EYnPu1J7Q/viewform?usp=sf_link

Faça o cadastro e, na página seguinte, haverá o documento para baixar. É bem simples. 


Eduardo, em 13/12/2021

No instagram @eduardorgoncalves 

2 comentários:

  1. Tenho o sonho em ser AGU, não pelo subsídio mas pela atribuição, ocorre que tenho dúvidas sobre a qualidade de vida nas três carreiras(Procurador do Banco Central não tenho interesse pela atribuição focada no empresarial, "Deus me free"). Quanto às atribuições a lei é bem explicativa, mas se tiver contato com membros da carreira que possam mostrar a realidade das lotações, progressões de carreira e outros agradeço. Para que possa centralizar os estudos em uma.

    ResponderExcluir
  2. É verdade que PFN é mais fácil de conseguir lotação inicial no interior de SP? To interessado na PFN pra ficar na minha cidade.

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!

SIGAM NO INSTAGRAM @EDUARDORGONCALVES.

ENTREM NO NOSSO GRUPO DO TELEGRAM CLICANDO AQUI.

PARTICIPEM DO NOSSO FÓRUM DE DISCUSSÕES.

GOSTOU DO SITE? ENTÃO NÃO DEIXE DE NOS SEGUIR NO INSTAGRAM @EDUARDORGONCALVES.

ALÉM DISSO, ENTREM NO NOSSO GRUPO DO TELEGRAM.

NÃO DEIXE DE LER!