Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

DICAS FINAIS PARA A DPU

Bom dia queridos, pedi a amiga Evelyn Zini, Defensora Pública Federal, que escrevesse a vocês algumas dicas sobre a segunda fase da DPU. 

Agradeço a Evely por ajudá-los. Aos texto:

Olá amigos e amigas, tudo bem?
Em primeiro lugar, parabéns por ter chegado até aqui! Sei que é cansativo, mas estamos quase lá!
Hoje vim falar sobre a prova de segunda fase da DPU.
Pois bem. A primeira dificuldade – e a que você já deve ter ouvido falar – é o tempo de prova. São dois dias de avaliações escritas, pela manhã e pela tarde. No total, suas provas podem durar até 20h em dois dias, o que é muito cansativo. Portanto, você tem que estar física e mentalmente preparado para essa carga.
Não deixe se vencer pelo cansaço. Sei muito bem que por vezes queremos jogar a caneta e entregar a prova. Preste atenção! Mantenha o foco. Com o passar do tempo tendemos a negligenciar citações de dispositivos, julgados, etc. Não faça isso!
Por segundo, aqui vai uma dica pessoal: nas questões e dissertação (mas não nas peças) pontue sua resposta. Não embaralhe tudo. A correção se torna difícil e posso te dizer que todas as provas dissertativas que fiz dessa forma (TRF, MPF e DPU) vieram com melhores notas. Levei tempo para entender isso.

Terceiro: não abrevie na primeira citação. Pela primeira vez que você citar o código, a corte, etc. escreva o nome todo e, somente após, abrevie. 
A quarta dica é citar todos os autores e julgados possíveis. Isso faz, sim, diferença. Por mais certa que sua resposta possa estar, o fato é que se você citar “segundo o autor x”, “conforme STF”, etc., a resposta ganha maior credibilidade. Mas, cuidado: evite autores muito “concursais”.
Ainda – em quinto lugar -, cuidado com o português! Se você não sabe, existe uma correção de português da prova e alguns amigos não passaram por causa desses descontinhos.  Atente para elementos de coesão, concordância nominal e verbal.  A gente aqui em Campo Grande fala sem concordância, por causa do sotaque, mas na hora de escrever não pode! Alô pessoal do interior e goianos!
Sexto: você não é José de Alencar! Amigos e amigas, escreva de forma objetiva, sempre respondendo primeiro o que lhe foi perguntado e, depois, se sobrar tempo (e linhas) você acrescenta informações tangenciais.
Por fim, NÃO assine “Defensor Público da União”. O nome correto é Defensor Público Federal.
São essas as dicas básicas de última hora. Espero ter colaborado e aguardo, com ansiedade, a notícia da aprovação de vocês para a oral!

Com carinho,

Evelyn Zini
@evelynzini

Agora eu acrescento mais uma dica: o espelho CESPE é objetivo, ou seja, é quase uma matemática. Se você colocou o que está no espelho, você ganhou a nota. Se não colocou, não ganha. 

Então se te perguntarem o princípio da insignificância se aplica aos crimes ambientais? R= você vai dizer que sim, mas também vai citar os requisitos para a incidência desse princípio (os 4 postulados do STF), pois isso possivelmente estará no espelho. 

Você ganha a nota pelo SIM, e não corre o risco de os requisitos estarem no espelho e você não ter colocado. OK? 

Abraços a todos e boa prova. 

Eduardo, em 17/11/2017
No IG eduardorgoncalves

1 comentários:

  1. Perfeito! Essas dicas, na reta final, fazem total diferença! Vamos c tudo!

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!