Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

SUPERQUARTA: PREPARAÇÃO GRATUITA PARA PROVAS DISCURSIVAS

Caros ALUNOS, é com muita satisfação que lançamos um novo projeto, A NOSSA SUPERQUARTA. 

A meta agora é ajudá-los na preparação para provas discursivas, uma das fases mais difíceis dos concursos da seara jurídica. 

Nesse sentido pensamos no projeto que denominados SuperQuarta, onde toda quarta-feira lançaremos uma questão discursiva a ser respondida pelo leitor, e remetida aos mediadores do site via comentário para correção. 

Leremos todas as respostas enviadas e publicaremos as duas melhores que servirão de espelho para os demais colegas analisarem se acertaram ou erraram a resposta. 

Em sendo assim, o aluno estará treinando redação, e terá um paradigma para saber se errou ou acertou. E o mais importante, as questões lançadas versarão sobre temas atualíssimos ou de maior incidência em provas, de modo que participando do projeto, o leitor estará estudando temas de grande relevância, treinando redação, concisão e já se familiarizando com a prova subjetiva a que será futuramente submetido. 

Vamos as REGRAS
1- Toda quarta-feira os mediadores publicarão uma questão discursiva voltada para os concursos da área jurídica. 
2- O aluno/leitor poderá responder a questão até antes da publicação da resposta na próxima quarta-feira. 
3- A resposta deverá ser dada no campo comentário que fica abaixo da postagem. 
4- O limite máximo de linhas é o fornecido pelo professor na questão (varia conforme a semana e o objetivo a ser trabalhado).
5- Na quarta-feita, junto com a nova pergunta, os mediadores divulgarão as duas melhores respostas (aceitaremos apenas os comentários com as respostas corretas). Se essas atenderem completamente ao espelho, não haverá complementação. Se não atenderem, os mediadores complementarão a resposta a fim de que todos os leitores tenham acesso ao gabarito tal qual exigido.

E mais que isso, a participação nessas rodadas é GRÁTIS, podendo o leitor conferir sua resposta com a escolhida, além de dispor de farto material para revisão ou estudo de temas específicos e relevantes para a prova. 

Do mesmo modo, cada rodada é acompanhada de dicas para melhorar suas respostas, o que ajuda na construção da resposta adequada ao longo das semanas. 

As questões versarão sobre todas as matérias relevantes para concursos jurídicos (todas as áreas), o que permitirá que o participante se auto-avalie em todas as matérias que serão exigidas em sua prova. 

E para premiar os colaboradores, remeteremos no final do ano um livro para o aluno que tiver o maior número de questões selecionadas dentre as melhores. O livro será escolhido pelo leitor dentre os indicados no blog no post "Recomendação Bibliográfica - Eduardo".

Nossa SuperQuarta já fez juízes, procuradores da repúblicas, advogados da união. O próximo aprovado pode ser você. 

Divulguem aos colegas, e depois é começar os treinos para a almejada prova discursiva. 

PARA TER ACESSO AS RODADAS ANTERIORES, CLIQUE AQUI. 

Até quarta pessoal.

Equipe do site. 

13 comentários:

  1. Na sua opinião é possível conciliar o estudo de concursos de procuradoria com concursos de advocacia estatal . E é possível conciliar o estudo para procuradorias federais com estaduais ou municipais? Muito bom o blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, pois as matérias básicas são as mesmas.

      Excluir
    2. Rogério. A conciliação dos estudos para concursos da área estadual (Procuradorias, MP, Magistratura e DP) é perfeitamente possível. O mesmo se diga da área federal. Agora, conciliar área estadual com área federal é mais complicado, pois temos de dar ênfase a temas específicos em cada área do direito. Exemplifico: se você estuda para área estadual, em direito civil, você deverá dar ênfase ao direito de família, sucessões, que pouco caem para área federal. E em diversos outros pontos.
      Espero ter ajudado.
      Dominoni

      Excluir
  2. Excelente iniciativa!!! Estão de parabéns!!!!

    Fernanda

    ResponderExcluir
  3. Descobri vocês pelo instagran e estou amando a iniciativa. @gjesus7

    ResponderExcluir
  4. Esse blog é extraordinário! Obrigada pelo trabalho que vocês estão realizando e claro, por democratizarem o estudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Fabi. esse é nosso objetivo mesmo! bjus Dominoni

      Excluir
  5. Meu caro, boa noite, Primeiramente parabéns pelo conteúdo do blog.

    Como faço para ter a correção individualizada das questões postadas no SUPER QUARTA?

    Grato.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Flávio. Mande-me um email, por favor: marcodominoni@gmail.com
    Abs Dominoni

    ResponderExcluir
  7. Super quarta - Defina o conceito de etnocídio e discorra sobre sua relação com o Papel do MPF na Sociedade Brasileira, citando exemplos

    Etnocídio é a ação que promove ou tende a promover a destruição de uma etnia ou grupo étnico, uma vez que há plena violação ao direito à identidade cultural destes povos ou grupos, cuja causa estruturante é o domínio de outra cultura (hegemônica). Sua característica essencial, portanto é a aculturação forçada de uma etnia ou grupo , por outra cultura (hegemônica). É o que instituições de direitos humanos, por exemplo, alegam que se passa no Mato Grosso do Sul, em relação aos Guarani e Kaiwoá. Algumas alegam que existe prática de genocídio contra este povo. Importante esclarecer que o genocídio e o etnocídio mantêm estreita relação, pois o primeiro trata do extermínio sistemático de um povo, enquanto o segundo é o extermínio de uma cultura, o que também pode ser causa de extermínio de uma etnia ou grupo étnico.
    Nos termos da Constituição Federal é função institucional do Ministério Publico, defender judicialmente os direitos e interesses das populações indígenas. Este dispositivo, somado a outros, fundamentam a atuação do Ministério Público na prevenção e pela responsabilização dos autores de práticas etnocidas e/ou genocidas contra povos indígenas ou outros grupos tradicionais em situação de vulnerabilidade. Cita-se como exemplo a ação, do MPF, na Justiça Federal em Altamira, que buscou o reconhecimento de que a implantação de Belo Monte constituía uma ação etnocida do Estado brasileiro e da concessionária responsável pela obra, “evidenciada pela destruição da organização social, costumes, línguas e tradições dos grupos indígenas impactados”. E vale, a título de informação, citar o caso dos Yanomami de Haximu, um importante precedente sobre genocídio e que demonstra a extrema relevância da atuação do Ministério Público nesses casos.

    ResponderExcluir
  8. Muito legal.
    Não tem mais?

    ResponderExcluir
  9. Olá! Como faço para participar?
    Obrigada!

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!