Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

SIGAM NO INSTAGRAM @EDUARDORGONCALVES e @MEUESQUEMATIZADO PARA DICAS, SORTEIOS, LIVES, NOTÍCIAS E MUITO MAIS

SIMULADO PARA O MPU - PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL

Olá genteeeee, bom dia. 

JP - João Pedro,  fez um simulado bem legal do tema PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL PARA O MPU. Vou postar parte hoje e parte sábado que vem. 

Vamos treinar para a prova do CESPE então? 

Ao SIMULADO:
1 – A Lei n. 12.990/14 reservou 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas em concurso públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal, estadual, distrital e municipal.

2 – Nos concursos públicos em que há reserva de vagas para negros, se o quantitativo de vagas ofertadas for fracionado, deve-se aumentar o número de vagas reservadas para o primeiro número inteiro subsequente em caso de fração igual ou maior que 0,5 (cinco décimos).

3 – Caso a administração pública constate que é falsa a declaração do candidato que concorre nas vagas reservadas aos negros, o candidato será eliminado do concurso público e, se já tiver sido nomeado, terá sua admissão ao serviço anulada, independente de procedimento administrativo.

4 – Os candidatos negros aprovados dentro do número de vagas oferecido para ampla concorrência não serão computados para efeito do preenchimento das vagas reservadas, privilegiando ao máximo o sentido material das cotas.

5 – A administração pública federal é obrigada a realizar a reserva de 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas nos concursos públicos, independentemente do número de vagas oferecidas no edital.

6 – A caracterização dos remanescentes das comunidades dos quilombos será atestada mediante procedimento administrativo a ser conduzido pelo Instituto de Colonização e Reforma Agrária – INCRA.


7 – Compete ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, por meio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA, o procedimento de demarcação e titulação das terras ocupadas pelos remanescentes das comunidades de quilombos, sem prejuízo da competência concorrente dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

8 – Para fins do procedimento de demarcação e titulação de terras de remanescentes de quilombos, o INCRA poderá estabelecer convênios, contratos e acordos com órgãos da administração pública, organizações não-governamentais e entidades privadas.

9 – O procedimento administrativo de demarcação e titulação de terras de remanescentes de quilombos somente poderá ser iniciado por requerimento da comunidade interessada.

10 – Compete à Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, órgão da Presidência da República, assistir e acompanhar o Ministério do Desenvolvimento Agrário e o INCRA nas ações de regularização fundiária, para garantir os direitos étnicos e territoriais dos remanescentes das comunidades dos quilombos.

Agora vamos ao nosso GABARITO
1 – A Lei n. 12.990/14 reservou 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas em concurso públicos para provimento de cargos efetivos e empregos públicos no âmbito da administração pública federal, estadual, distrital e municipal.
R – Errado. Atenção, pois a Lei n. 12.990/14 (Lei de Cotas nos Concursos) é FEDERAL, vinculando apenas a administração pública federal, de modo que somente se aplica aos concursos públicos promovidos pela União (os 3 poderes e o MP). O erro da assertiva está em afirmar que a reserva se aplica à administração pública estadual, distrital e municipal. Veja o ar. 1º, da Lei n. 12.990/14.

2 – Nos concursos públicos em que há reserva de vagas para negros, se o quantitativo de vagas ofertadas for fracionado, deve-se aumentar o número de vagas reservadas para o primeiro número inteiro subsequente em caso de fração igual ou maior que 0,5 (cinco décimos).
R – Certo. O art. 1º, § 2º, da Lei n. 12.990/14, traz uma regra de proporção para o caso de haver quantitativa fracionado no número de vagas ofertadas aos candidatos negros. Deverá ser aumentado para o primeiro número subsequente se a fração é igual ou maior que 0,5 (cinco décimos); por outro lado, deve ser diminuída para o número inteiro imediatamente inferior se a fração é menor que 0,5 (cinco décimos).

3 – Caso a administração pública constate que é falsa a declaração do candidato que concorre nas vagas reservadas aos negros, o candidato será eliminado do concurso público e, se já tiver sido nomeado, terá sua admissão ao serviço anulada, independente de procedimento administrativo.
R – Errado. De fato, o art. 2º, parágrafo único, da Lei n. 12.990/14, permite a eliminação do concurso público ou, em caso de nomeação, a anulação da admissão do candidato que fez declaração falsa. Todavia, em caso de já ter havido nomeação, o dispositivo exige que haja procedimento administrativo com contraditório e ampla defesa para que seja anulada a admissão. Logo, o erro da assertiva está em afirmar que a anulação da admissão por declaração falsa não depende de procedimento administrativo.

4 – Os candidatos negros aprovados dentro do número de vagas oferecido para ampla concorrência não serão computados para efeito do preenchimento das vagas reservadas, privilegiando ao máximo o sentido material das cotas.
R – Certo. É exatamente a disposição do art. 3º, § 1º, da Lei n. 12.990/14.

5 – A administração pública federal é obrigada a realizar a reserva de 20% (vinte por cento) das vagas oferecidas nos concursos públicos, independentemente do número de vagas oferecidas no edital.
R – Errado. Não é sempre que a Administração Pública Federal estará obrigada a fazer reserva de vagas para pessoas negras, já que o art. 1º, § 1º, da Lei n. 12.990/14, dispõe que “a reserva de vagas será aplicada sempre que o número de vagas oferecidas no concurso público for igual ou superior a 3 (três)”. Logo, só é obrigatória a reserva de vagas nos concursos públicos que ofereçam 3 (três) ou mais vagas.

6 – A caracterização dos remanescentes das comunidades dos quilombos será atestada mediante procedimento administrativo a ser conduzido pelo Instituto de Colonização e Reforma Agrária – INCRA.
R – Errado. Conforme prevê o art. 2º, § 1º, do Decreto n. 4.887/03 (Procedimento para titulação de terras dos quilombos), a caracterização dos remanescentes das comunidades de quilombos é atestada mediante autodefinição da própria comunidade. Portanto, é a própria comunidade quem atesta a caracterização, não cabendo ao INCRA tal atribuição. CUIDADO: o INCRA tem outras atribuições previstas no Decreto, a exemplo da atribuição para conduzir o procedimento de demarcação e titulação das terras dos remanescentes de quilombos.

7 – Compete ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, por meio do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária – INCRA, o procedimento de demarcação e titulação das terras ocupadas pelos remanescentes das comunidades de quilombos, sem prejuízo da competência concorrente dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.
R – Certo. É exatamente o teor do art. 3º, do Decreto n. 4.887/03.

8 – Para fins do procedimento de demarcação e titulação de terras de remanescentes de quilombos, o INCRA poderá estabelecer convênios, contratos e acordos com órgãos da administração pública, organizações não-governamentais e entidades privadas.
R – Certo. Esta questão aborda o teor do art. 3º, § 2º, do Decreto n. 4.887/03, que confere ao INCRA a possibilidade de celebração destes instrumentos tanto com órgãos da Administração Pública quanto com entes privados.

9 – O procedimento administrativo de demarcação e titulação de terras de remanescentes de quilombos somente poderá ser iniciado por requerimento da comunidade interessada.
R – Errado. O art. 3º, § 3º, do Decreto n. 4.887/03, dispõe que o procedimento deve ser iniciado de ofício pelo INCRA ou por requerimento de qualquer interessado. Logo, o erro está em afirmar que somente por requerimento se inicia o procedimento.

10 – Compete à Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, órgão da Presidência da República, assistir e acompanhar o Ministério do Desenvolvimento Agrário e o INCRA nas ações de regularização fundiária, para garantir os direitos étnicos e territoriais dos remanescentes das comunidades dos quilombos.
R – Certo. O item traz exatamente o teor do art. 4º, do Decreto n. 4.887/03. Grave o artigo.

Gostaram? Acertaram quantos itens? Errara quantos? 

Eduardo (postando o simulado do JP), 22/09/2018 
No instagram @eduardorgoncalves 


15 comentários:

  1. Muito obrigada pela disponibilização do simulado. Realmente é uma disciplina que só exige estudo da lei e resolução de muuuuuitas questões. Vcs tbm disponibilizarão algum simulado referente a acessibilidade?

    ResponderExcluir
  2. Adorei! errei uma! sobre a autodefinição da comunidade dos quilombos

    ResponderExcluir
  3. Excelente! Errei a 6, por falta de atenção.

    ResponderExcluir
  4. Consegui gabaritar apenas com a leitura e resumo de pontos principais das leis/decretos... Muito bom. Obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Essa matéria é pra gabaritar!!!
    #rumoaoMPU

    ResponderExcluir
  6. Acertei 9. Errei a questão 6. Não lembrava da autodefinição. Muito obrigada pelo simulado.. já tinha tentado fazer no QC, mas tive dificuldade para achar questões que fossem completas como o ponto do edital!

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelo simulado, excelente!

    ResponderExcluir
  8. Errei 2, logo perdi 4. Haha... Gostei, obrigada!

    ResponderExcluir
  9. Excelente simulado. Obg pela dedicação da equipe, vcs são 10!

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!

GOSTOU DO SITE? ENTÃO NÃO DEIXE DE NOS SEGUIR NO INSTAGRAM @EDUARDORGONCALVES e @MEUESQUEMATIZADO