Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

DEPOIMENTO DE APROVADO - FELIPE VIANA DE ARAÚJO DUQUE

Olá meus amigos.

Hoje, domingo, vamos trazer o depoimento do colega FELIPE DUQUE, Procurador da Fazenda Nacional, que compartilha com vocês a experiência que adquiriu nessa etapa tão difícil que é o estudo para concurso. 

Obrigado ao Felipe, e desejamos o mais absoluto sucesso na carreira. 

Segue o depoimento que muito vai inspirar a cada um de vocês:

Olá, me chamo Felipe Duque, e há alguns anos, sempre sonhei que receberia um convite de alguém no qual eu iria falar sobre minha preparação para concurso. Eu pensava: “como terei dificuldade de descrever de modo sucinto e breve como foi meu caminho, não tem como”. Refletia em responder da seguinte forma: “Posso me descrever como “eterno estudante”, era assim que gostaria, pensava, mas tinha receio de que, se abordasse dessa forma ninguém ia se interessar, achando que tudo foi fácil e eu seria só mais um que quando consegue algo, quer apontar vaidade e que foi tudo natural e acessível”. Porém, o que eu não conseguia entender era como alguém passava em concursos difíceis, e depois limitava-se a afirmar que foi “tranquilo”, ou que só havia vitórias no caminho.

Por isso, de forma resumida, o que pretendo relatar é justamente aquilo que as aparências não contam, ou melhor, que a “time line” das redes sociais omite.
Em razão disso, resolvi escrever esta mensagem aos amigos que ainda estão na luta e também para agradecer aos principais responsáveis (Deus,família,irmãos,namorada,amigos,concursados e concurseiros) por tudo isso.
Sempre que lia depoimentos de guerreiros, que após serem aprovados, contavam suas histórias, me sentia mais fortalecido, então, me sinto no dever de lhes contar a minha, pois sei que ela vai ajudar muitos de vocês. Aprendi que a experiência e o conhecimento adquiridos não adiantam de nada se não passarmos adiante.
De fato, ainda estou meio perdido, avoado, sem saber o que fazer ou pensar, meio órfão, se assim posso dizer, afinal, amanhã é sábado, e amanhã, não terei que estudar. Pois é, nem sei quando foi a última vez nos últimos 5 anos em que não estudei num sábado/ não pensei em estudar.
Comecei minha saga concursal em 2010. Fui reprovado em mais de 15 concursos, isso mesmo, mais de 15 concursos e nas mais variadas fases. Nesses 5 anos, não houve, sequer, um sábado que eu não tenha estudado. Nesses 5 anos, não teve um carnaval, que eu não tenha ficado grande parte dos dias em casa estudando.
Foi muito difícil!! Enquanto eu estava em casa no sábado de carnaval, meus amigos, primos, familiares estavam passeando, viajando, se divertindo. Mas, eu tinha um ideal e acreditava que um dia a vitória chegaria. Então, me apegava a isso e seguia em frente.
Iniciei o curso de Direito com a ideia de não querer ser mais um no meio de tantos bacharéis, mas pouco a pouco essa ideia me remetia que para isso, era preciso buscar algo que a maioria dos calouros não pensava no início do curso: eis a busca pela “lei do mais esforço”, de forma que a única coisa que cai do céu, meu amigo(a), é chuva.
Juntei-me com meu irmão, na época, ex-jogador de futebol, e ali em 2010, comecei a fazer as primeiras provas impulsionado por aqueles cursos presenciais que abrangem todas as matérias para o MPU-2010.
Durante os primeiros concursos de Tribunais, nada mais incentivador que não ficar nem “classificável” e “dever pontos” ao CESPE, chegando a criar quase uma fobia de tal instituição.
Acredito que apenas no terceiro concurso (1.MPU-2010, 2.TRE-RN 2011, 3.Técnico Fazendário Olinda-PE 2010), tive a mínima sensação de que, o que eu tinha estudado em algumas matérias estava na prova, e assim, eu era menos burro que no concurso passado.
E essa sensação, por mínima que fosse, me fazia querer aumentar meu nível de estudo e de renúncia, porque eu queria provar para mim mesmo que eu era capaz. Lembro que em 2013 fui fazer o concurso de Procurador do BACEN (meu primeiro concurso para Procuradorias, que fiz com bastante temor, um então amigo meu Juiz Federal na época, me questionou ao final da prova: “sentiu que era palpável? alcançável? Basta!”). Ou seja, ter a noção de que, um dia, seu momento chegará porque inevitavelmente você está no caminho e se aperfeiçoando, é a melhor sensação que um concurseiro pode perseguir.
E então, em 2011, aguardava ansiosamente o concurso do TJPE, ao qual cheguei a me dedicar com muito suor, indo de encontro ao que grande parte dos novatos da faculdade faziam: estudar ao intervalo das aulas, utilizar a biblioteca como lugar favorito, negligenciar o pessimismo de quem me chamava de “louco” por começar a estudar para concursos tão cedo... Resultado: preparando-se com afinco, durante o terceiro período da faculdade consegui a primeira aprovação aos 19 anos como servidor do TJPE.
A partir daí, pensava eu, tudo deveria se tornar mais fácil, ou não. Recordo-me do maior conselho que levei para minha vida ao ingressar no TJPE: “Felipe, não se acomode”.
Não era simples, mas conciliar faculdade, trabalho e estudos me fez aprender na veia o que era otimizar o tempo. Era preciso, estar na faculdade pela manhã, ir direto para o TJPE e só começar a estudar por volta das 20h30.
Nesse sentido, após 2012 ingressei na batalha oficial por “concursos-fim”, porém, guiado por um anjo, e com o espírito concursal consegui concluir a faculdade em 2013, antecipando em 1 ano a conclusão do curso após lograr êxito em alguns concursos de Tribunais e MP´s, o que me deixaria com mais tempo de vida para dedicar aos estudos.
Por conseguinte, fiz no final de 2013 a AGU (Procurador Federal), sem me dedicar completamente pelo turbilhão de coisas que tinha que fazer para antecipar o curso, e surpreendentemente, fiquei por 2 questões C/E para passar de fase.
Nossa! Foi aquele quase, que eu me permiti olhar positivamente, aquilo me deu uma energia incrível, tudo apontava que 2014 seria um ano muito produtivo e que eu iria chegar bastante forte nas procuradorias.
Ledo engano! Aprendi com a experiência que não é porque em um concurso você teve um desempenho bom, que no próximo irá melhorar ou se manter. Como soa evidente, levei uma “rasteira” tremenda na PGM-Recife 2014 (janeiro). Sem titubear, nem digerir e me preparei com dedicação para PGM-SP (maio), ficando novamente bem longe do corte para a próxima fase.
Ora, cadê aquela curva constante de crescimento que me diziam? William Douglas (Guru) tinha errado! Pô, estava “só” estudando e trabalhando sem faculdade, estava numa sala de estudos e agora cadê os resultados?
Continuei no percurso, agora em busca da PGE-PI (Julho) e, ali, beijei o chão de novo. Destaque-se, meu rendimento tinha piorado mais ainda! A CESPE me pegou de jeito e ali eu senti que Procuradorias não eram para mim, que eu era muito ignorante e burro... Esses dias após cada reprovação eram terríveis. Choro só de lembrar.
Chorava, me desesperava, lembrava do meu lema “não se acomode” , e no dia seguinte, acordava cedo de novo e recomeçava, firme no propósito e confiante que da próxima vez seria diferente.
Neste contexto, nada melhor como mais um edital para reenergizar-se com a vitalidade da esperança.
Fiz a PGE-RN (Dez 2014), ao qual encerrei a prova com uma sensação ruim que me fez aprender outra lição: pouco importa a sensação pós-prova, pois ela vai te trair um bocado (o que importa é acreditar no processo de aprendizagem, “vitória é continuar estudando”).
Finalmente, tinha conseguido passar para uma segunda fase, e olha que tinha passado bem. Daí eu intensifiquei os estudos para a segunda fase (Fev-2015), pedi férias no trabalho, adeus carnaval (já estava acostumado kkkk)... Desfecho: passei para próxima fase (tinham 3 fases), e em seguida, levei corte no parecer. Pense numa decepção... Tinha depositado tantas esperanças, já me enxergava até morando no RN.
Engraçado, nessa prova eu conheci muitos estudantes, e tive a percepção de como ou 1) eu estava errado nas minhas esperanças ou 2) estava sendo muito egoísta. Isto porque, observando os outros, percebi que tantos já eram AGU,PFN, Juízes ou estavam a bastante tempo estudando, e eu, ali na sua primeira vez nas próximas etapas, esperava ser aprovado...
Claramente, havia a necessidade de entender como é lento e natural o processo de aprendizagem e aprovação, e ter paciência de saber esperar é consequência de deduzir que: “quem tem pressa come cru”.
Vale dizer, a dor do fracasso me fez baixar a cabeça, e chegar a seguinte conclusão: a dor nos destrói ou nos constrói, nos encoraja ou nos inibe. Caberia a mim, rindo da própria agonia para então aproveitar a solidão do confinamento estudantil, afinal, tudo pode ganhar significado se a atmosfera diante da crise for de gratidão.
Em seguida, saiu a PGE-PR (abril 2015), concurso que, fiquei por uma questão de passar de fase (sempre tem alguém que acontece isso né? Estamos aí). E novamente, WD errou, estava saindo da “curva crescente” de passar no concurso. Só que dessa vez tinha aprendido: não depositar minhas esperanças no concurso em seguida, depositar sim, na minha vida de esforço e dedicação, pois um dia, tudo valeria a pena.
Surgiu então a PFN/AGU(2015), concursos que particularmente, deixei de fazê-los em 2012 e me lembro que eu nunca seria PFN pois ali percebi que nunca teria aptidão para passar na prova da PFN.
Quando saiu o edital da PFN, estava trabalhando na Câmara Regional do TJPE que fica a 150 km de Recife. Só Deus sabe como foi se desdobrar para estudar mesmo trabalhando MUITO como Assessor de Desembargador.
Nessas circunstâncias, cheguei a realizar a PGE-PA (caí na segunda fase) e PGM-Salvador (obtive aprovação).
E aqui fica um grande resumo das provas da PFN: grande parte de tudo aquilo que eu tinha errado, me frustrado, escorregado, vacilado durante todas essas provas como a PGE-RN,PGE-PA,PGM-Ssa, fizeram-me tirar uma ótima nota na segunda fase da PFN (Saí da 335ª colocação para 70ª mais ou menos), era literalmente para mim, o dedo de Deus na minha vida.
Em relação a prova oral, que cabe por sua completude em outro depoimento pela extensão, é preciso destacar o acesso que tive a diversos amigos que me contribuíram e me carregaram através de muitos treinos, dentre eles João Pedro conhecido daqui a quem foi um grande irmão em toda essa fase final de preparação. Dei um salto outra vez nas posições, tirei 84,71 ficando na 39ª colocação ao final.
Continuei, lutei, perseverei e venci. Se você que está lendo essa mensagem, tem um sonho na vida, algo que você queira muito, vá atrás!! Lute!!! Não desista!!! Tenha seu objetivo em mente e se dedique incansavelmente a ele. Não importa o que aconteça, não desista!! Problemas, todos têm, eu tive muitos!! Mas com o tempo, aprendi a não deixar que eles me atrapalhassem a estudar e você também vai aprender.

Não adianta ficar esperando um problema ser resolvido para começar a estudar, porque se resolve um problema, mas amanhã surgem outros, então, deve-se acostumar a esvaziar a cabeça na hora do estudo. Então é muito importante que você entenda que ou você senta e estuda, apesar de tudo, ou você nunca vai passar!!
Trabalhe, trabalhe e trabalhe. Também não adianta, dizer que tem um sonho, dizer que quer chegar a algum lugar e ficar sentado esperando. Tem que haver renúncia!! Tem que estudar sábado e domingo mesmo!! Quem estuda e se dedica, passa!! Só não passa quem desiste!! Essa é a maior verdade no meio dos concursos!!
Agora poxa, não cheguei a lugar nenhum sozinho sabe...tem tanta gente me ajudou... TANTA gente... Como você vê grandes mestres como o Eduardo Gonçalves, o Márcio Cavalcante, que se predispõem a servir de bom coração dando o melhor de si, auxiliando efetivamente para que você seja aprovado, então basta seguir os ensinamentos! Informação você tem!
Acreditem no sonho de vocês!! Eu sou a prova viva de que ele pode se tornar realidade!! Vocês não imaginam como é bom o sabor da conquista honesta, como é bom lutar muito, suar e conseguir algo que você quer muito, por seus próprios méritos!! Nunca deixem alguém dizer que você está sonhando alto e que o que você quer é impossível. Pessoas fracas e sem determinação, querem que todas sejam iguais a elas. Acredite que pode, trabalhe e você alcançará!!
Por derradeiro, é muito importante ter paciência e ser resiliente. As coisas não acontecem na hora que a gente quer, elas acontecem na hora certa, na hora que Deus entende que tem que acontecer. O concurseiro precisa aprender que as coisas fogem do nosso controle. Você vai fazer tudo certo e vai ser reprovado por “uma questão”!! A única coisa que se deve fazer é continuar estudando, não desistir, “não se acomodar”, que num determinado momento, sem que você perceba, as coisas acontecem, e quando acontecer você terá a melhor sensação do mundo!!
Eu te garanto!!!!
Foco, esforço, determinação, perseverança e fé!!! As palavras que te levarão à vitória!!!
Inclusive, agradeço a João Pedro e a Eduardo Gonçalves pela oportunidade. Também, registro minha gratidão a Deus por partilhar essa história com vocês, sem ele NADA seria permitido em minha vida!
“Que não obstante minhas súplicas, seja feita tua vontade Senhor”

Contem comigo! Forte abraço!!

Bons estudos a todos. 

05/02/2017

36 comentários:

  1. Maravilhoso depoimento. Isto nos encoraja a continuar lutando em busca do sonho. Um bom domingo cheio de estudos à todos.

    ResponderExcluir
  2. Espetacular. Felipe, fiquei super feliz por você. Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  3. Inspirador ler este depoimento nesta tarde ensolarada de domingo de estudos.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns irmão. Obrigado por compartilhar essa mensagem conosco. Que Deus te abençoe nessa, nova, caminhada e que você possa continuar a ser esse canal de bençãos na vida de todos, saiba que sou seu admirador!

    ResponderExcluir
  5. Amigão Duque é indizível a satisfação que tenho de ler seu testemunho. Fiz questão de apreciar palavra a palavra pois sei que de essas entrelinhas destilam muitas virtudes dentre elas: aprendizado, esperança, humildade e gratidão a Deus. Grato por ter me procurado depois de tanto tempo e me alimentado ao dizer a mim que eu não desistisse.
    Prossigo fazendo a minha parte. Grato por compartilhar de sua vida.
    Jesus te abençoe amigão.

    ResponderExcluir
  6. Grande depoimento! Parabéns, Felipe!!

    ResponderExcluir
  7. As vezes algumas coisas, como este depoimento, servem perfeitamente para momentos que estamos vivendo. Foi de grande valia o depoimento. Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns, que Deus continue abençoando o senhor. Muitas vezes não entendemos o porque de certas coisas, mas na frente, Deus encaminha tudo, a vontade dele é perfeita e agradável. Sem querer incomodar, gostaria de saber se o seu estudo para Procuradoria da Fazenda foi baseado em doutrinas esquematizadas ou sinopses? Abraço

    ResponderExcluir
  9. Parabens pelo depoimento emocionante!!! Assim é a vida do concurseiro, sei bem o que é isso trabalhar, estudar, cuidar de filho... a receita é nunca desistir, uma hora chega, cada um no seu tempo. Deus nos abençoe

    ResponderExcluir
  10. LINDOOOO!! AMEI SEU DEPOIMENTO!! TANTO QUE LAGRIMEI!
    OBRIGADA PELAS PALAVRAS!!

    ResponderExcluir
  11. Obrigada ao Felipe, pelo depoimento, e ao Eduardo, por disponibilizar o espaço no blog para depoimentos como esse.

    Parabéns, Felipe, que você tenha uma carreira de muito sucesso na PFN.

    ResponderExcluir
  12. Incrível, era tudo que eu tava precisando!
    Muito obrigado Felipe Duque!! Deus te abençoe, você merece, sou seu fã!

    ResponderExcluir
  13. muito bom, acabei de ser reprovada por uma questão e antes em outro concurso, na segunda fase, por um décimo rs.

    ResponderExcluir
  14. Que depoimento!
    Parabéns pela aprovação!

    ResponderExcluir
  15. Comovente depoimento. Meu sonho é PFN, mas sempre me achei incapaz de passar dada a complexidade desse concurso. Obrigada por servir de inspiração.

    ResponderExcluir
  16. Parabens Felipe. Desejo sucesso no cargo.
    Vc disse que fez a prova da PGE/PA, certo? Qual sua avaliação quanto ao nível do certame em comparação com as demais provas de PGE que fizestes, de outros estados?
    Minha pergunta se baseia no fato de que essa prova é peculiar, porque aqui no estado do Pará as questões são elaboradas pelos próprios procuradores e as dicas específicas para CESPE, FCC e etc não se aplicam.

    ResponderExcluir
  17. Abnegado, corajoso, resiliente, focado, determinado e dotado de fé em Deus.
    Por meio de nosso Sr. Jesus Cristo manteve-se firme e energizado para tomar posse da vitória no mundo dos concursos. Assim como no Salmo 19:7: "Mil cairão ao teu lado, e dez mil à tua direita, mas tu não serás atingido."

    ResponderExcluir
  18. Amém meu irmão! Você é um cara iluminado, segue firme, bom ver você num site de um porte desses! Ganha Eduardo Gonçalves, ganha os concurseiros

    ResponderExcluir
  19. Como sempre o cara sensato e trabalhador, continue assim com essa força de vontade que te leva para frente, sempre em movimento! Abraço irmão e muito orgulho.

    ResponderExcluir
  20. Muito me emociona a trajetória desse grande amigo, cujo esforço pude testemunhar. Tudo que está é a mais criativos verdade, nenhuma gota de suor a menos.

    ResponderExcluir
  21. Depoimento incrível. Me fez um bem danado aqui! obrigado por compartilhar irmão! Aproveite a nova fase e guarde sempre a humildade de quem saber de onde veio. sucessos!

    ResponderExcluir
  22. Que depoimento! Me emocionou muito! Parabéns pela conquista suada e honesta!!

    ResponderExcluir
  23. Parabéns pelo caminho que você traçou, Felipe! E obrigada pelas palavras tão motivadoras! Depoimentos como os seus dão força pra quem ainda está na jornada!!!

    ResponderExcluir
  24. Obrigado Felipe e parabéns pela conquista!

    ResponderExcluir
  25. Que depoimento, me motivou a estudar DEMAIS!Tenho acompanhado sua trajetória por o que amigos me falam, e o que mais me impressiona é sua capacidade em ajudar, parabens!

    ResponderExcluir
  26. Belo texto! Você é uma inspiração meu caro!!! Sucesso na carreira e por favor nos ajude sempre que puder!

    ResponderExcluir
  27. Valeu meu irmão! Você e esse seu dom de servir! Muito obrigado!!

    ResponderExcluir
  28. Valeu irmão, estou "voando baixo" ainda... Já tomei tombos, estava precisando disto! Deus te abençoe.

    ResponderExcluir
  29. Obrigada pelas palavras de incentivo.

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!