Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

SIGAM NO INSTAGRAM @EDUARDORGONCALVES e @MEUESQUEMATIZADO PARA DICAS, SORTEIOS, LIVES, NOTÍCIAS E MUITO MAIS

MINHA PRIMEIRA APROVAÇÃO E O QUE APRENDI COM ELA - DICAS PARA ESTUDAR NA FACULDADE E PARA CONCURSO DE BAIXA COMPLEXIDADE

Olá meus amigos, bom dia a todos. 

Hoje vou contar para vocês sobre minha primeira aprovação, e o que aprendi com elas e o que vocês também podem aprender com ela. 

Entrei na faculdade de Direito em Jacarezinho (UENP) em 2008. Pela grade da faculdade, em 2008, não tivemos nenhuma matéria exclusivamente jurídica. Foram apenas as matérias introdutórias, que pouco ajudam em concurso. 

Logo em 2009 é publicado, então, o edital do concurso de TÉCNICO JUDICIÁRIO DO TJ/PR, e aqui começam as dicas.

1- Na faculdade faça concurso, ainda que você não estude para ele e não saiba o que você quer ser quando se formar. 
Fazer concurso te dará experiência. Por mais simples que seja o concurso ele vai contribuir para o seu crescimento. 
Entrei na faculdade querendo ser juiz, mas eu não ia deixar para fazer prova só para juiz. EU FIZ TUDO QUE ABRIU NA ÉPOCA DA FACULDADE E OS RESULTADOS FORAM VINDO. 
Fui usando esses editais que se abriam na faculdade para bater metas, para zerar esses editais mais simples, e revisar os temas já estudados. 

2- Vá no embalo de boas amizades. 
Nessa época eu mal sabia o que era concurso ou como era a prova. Simplesmente fui no embalo do pessoal mais experiente que estudava na faculdade. Vi o material que eles estavam usando e confiei.
Quando for estudar para concursos, portanto, cerque-se de pessoas que estão na mesma vibe que você, cerque-se de pessoas que vivem a luta do concurso público. 
Afaste-se de quem não te entende ou te critica. 
Eu queria ser o melhor dentre todos que estudavam na biblioteca. Eu queria passar na frente deles mesmo sendo calouro e eles veteranos. Fiz disso uma competição interna que me motivava a estudar mais que eles.
No final eu passei, e muitos veteranos do terceiro, quarto e quinto ano não passaram. Vários colegas da minha turma também passaram, em detrimento de muitos veteranos. 

3- Na faculdade, comece pelos concursos mais fáceis
Está ainda na faculdade? Faça concurso, mas não comece fazendo prova para juiz ou promotor que não vai rolar. Faça as provas de técnico (judiciário, INSS, escrivão de polícia etc), após avance para as de analista. Vá subindo ano a ano a dificuldade e já esperando certa evolução. 
Eu fiz pelo menos 03 provas de técnico e 02 de analista no período. Passei em uma de técnico e nas duas de analista ainda na faculdade.

4- Leia, na faculdade, muita lei seca. 
Para o meu primeiro concurso, técnico do TJ-PR, eu li muito o vade mecum, a lei seca. Li até decorar a CF e o CPC. Lembro que eram as principais leis cobradas, então eu foquei e li muito, muito muito mesmo. 
Prova de técnico é pegadinha, é letra de lei, então leia sem medo os normativos. 
Lendo bem para o concurso de técnico, você já irá aproveitar os estudos para o concurso de analista e até para juiz e promotor, que também cobram lei seca. 

5- Acreditem em vocês. 
Lembram que eu disse a vocês que concorria com veteranos? Isso me fez não ter a coragem de me inscrever para Jacarezinho. Pensei: lá tem uma faculdade pública, muita gente melhor do que eu, não vou passar. Fiz, então, a prova para Joaquim Távora. 
Fui o segundo colocado na comarca que escolhi, mas com minha nota seria o primeiro em Jacarezinho. 
Não confiei em mim, resultado: perdi a lotação que melhor atenderia meus interesses. 

6- Fique bom em Língua Portuguesa o quanto antes. 
O vestibular da minha universidade era composto de 50 questões de LP (35 de gramática pesada e 15 de literatura pesada), além disso havia uma dissertação que valia 150 pontos (eu tirei 144). Essas duas provas valiam quase 60% dos pontos em disputa. 
Diante disso, eu estudei muitooooooo LP e fiz muitas dissertações, o que me ajuda até hoje. 
Aprender regras gramaticais, a interpretar um texto adequadamente, a escrever bem ajudarão vocês em quaisquer concursos. 
Quando digo escrever bem não é escrever sem erro de ortografia, mas sim concatenar adequadamente as ideias, fazer uma boa dissertação. 
Então quanto antes vocês leram uma gramática, quanto antes ficarem feras na interpretação do texto, quanto antes dominarem a estrutura dissertativa, antes vocês serão aprovados. 
Para esse primeiro concurso, ir bem em LP me ajudou muito, pois eu gabaritei a matéria, enquanto muita gente foi mal. 

7- Não descuide das matérias específicas.
Sabe aquela matéria específica, que só cai nesse concurso, como regimento interno? Então, estude-a, mas estude-a próximo a prova. Façam a leitura do Regimento Interno na semana da prova, pois as chances de esquecimento são menores. 

8- Não descuide das matérias de conhecimentos gerais.
Para passar em um concurso jurídico de baixa complexidade, vocês terão de saber outras matérias como informática. Não descuide delas, mas as deixe para estudar após a abertura do edital, pois exigem memorização. 
Estudei informática nas duas últimas semanas da prova. Fui super bem, mesmo sendo péssimo no tema. 

Certo amigos? 

Espero que tenham gostado das dicas. 

Eduardo, em 10/03/2019
No instagram @eduardorgoncalves

3 comentários:

  1. Showww demais Edu!! excelente post, parabéns pelo Blog

    ResponderExcluir
  2. Eduardo, mas para as matérias de conhecimentos gerais como português e informática nesses concursos de nível médio, o uso de uma apostila já é o suficiente ou utilizo uma "doutrina" mais densa?

    ResponderExcluir
  3. Na minha época de faculdade eu saia com o pessoal de agronomia e veterinária para beber, o que hoje me arrependo muitooo. Estudava só em véspera de prova para passar de semestre. Era um zero à esquerda, não tinha noção de concurso. Comprava livros e não lia só para me enganar e me sentir bem (intelectual). Meu Deus, que vontade de voltar no tempo.

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!

GOSTOU DO SITE? ENTÃO NÃO DEIXE DE NOS SEGUIR NO INSTAGRAM @EDUARDORGONCALVES e @MEUESQUEMATIZADO