Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

AU X PFN (QUAL ESCOLHER)???

E aí meu povo, 
Passa ano, entra ano, e a mesma dúvida: Advogado da União ou Procurador da Fazenda Nacional? Para qual estudar? Em qual focar? Qual o melhor? 
Obviamente que o primeiro elemento que deve pesar na escolha é a vocação, pois ninguém merece passar uma vida fazendo o que não gosta, então aqui fica uma dica "NUNCA ABRA MÃO DE UM SONHO POR ACHAR QUE NÃO PODE", "NUNCA SE JULGUE INCAPAZ". 
Conto minha história: fui aprovado na primeira fase do último concurso da PFN (estava com 72 pontos, entre os primeiro colocados na prova objetiva mais difícil que já fiz). E aí, me preparando para a segunda fase do concurso, leio em um blog que também prepara leitores para a AGU: Nessa fase do concurso você já deve ter lido Ricardo Alexandre (se referindo ao fato de o Sabbag ser básico). Resultado: pirei com essa informação e desisti da prova da PFN, indo fazer a 2ª fase da DPE-PR (que era no mesmo dia). RODEI FEITO. Se tivesse feito PFN com certeza teria sido aprovado, pois praticamente não existiram reprovações na 2ª fase, nem na oral. 
Então, não deixe jamais seu sentimento de inferioridade ou de incapacidade fazer com que abra mão de um sonho. OK? 

Vamos falar um pouco das carreiras:
Em termos de remuneração: está igual, mas os Advogados da União estão promovendo muitooooo mais rápido. Eu mesmo fui promovido após 15 dias de efetivo exercício. Já dá 2 mil reais a mais. Advogado da União, também, tem mais DAS disponíveis, o que também aumenta (e bastante) a remuneração final. Então eu concluo: Se seu interesse é meramente econômico, suas chances de ter uma melhor remuneração (no cenário atual) é no cargo de Advogado da União. 
OBS- tramitam vários projetos, com chances reais de aprovação, que vão melhorar as duas carreiras (PEC 82 e 443 + projetos de Lei). 

Em termos de lotação
Advogado da União- se aprovado entre os primeiros colocados, você pode pegar uma UDP (Unidade de Difícil Provimento) e ir para uma capital do Norte ou Cuiabá. Após 3 anos nessa Unidade, fura-se fila na remoção, passando a ter prioridade (o que permite que voltem mais rápido para a casa de vocês). Esperar pela lista normal de remoção como AU demora muito, e só se consegue uma boa cidade após muito tempo de carreira ou com UDP. Eu consegui Campo Grande, mas dei muita sorte e estava entre os primeiros (5º). 
Todos os demais: lotação inicial em Brasília, sem qualquer perspectiva de remoção para o Sul, Sudeste, Nordeste, Mato Grosso do Sul e Goiás. 

PFN- Lotação dispersa pelo interior do Brasil todo (tenho um colega que passou em 2012 que já está em Maringá, e teve Presidente Prudente como lotação inicial). Além disso, há muitas vagas em SP (capital). É fácil conseguir Barreiras, p. ex., mas não espere uma capital nordestina como primeira lotação. 

Estrutura de trabalho- ponto para a PFN, pois contam com boa parte de apoio do Ministério da Fazenda. 

Volume de trabalho- varia de unidade por unidade, sendo impossível a comparação. 

Em termos de prova:
Prova de Advogado da União- é mais fácil na primeira fase, mas o corte é muitooooooo mais alto (na última prova foram necessários 155 acertos para ser aprovado na 1ª fase),  o que é absurdamente alto. Corte superior a qualquer Magistratura Federal ou MPF.   

Prova de Procurador da Fazenda- primeira fase é muito mais difícil, mas o corte foi infinitamente inferior (salvo engano 57 acertos). O menor da história recente dos concursos. 

Do mesmo modo, o concurso de Advogado da União terá muito mais inscritos (só pela venda dos simulados já deu para perceber), sendo que no último concurso essa diferença foi de 10.000 inscritos (o que elevou a nota de corte, inclusive). 

Outro fato: para Advogado da União vocês terão que ter uma base boa em todas as matérias. Vejamos a distribuição das questões (última prova):
Administrativo- 1 a 25.
Constitucional- 26 a 50.
Financeiro: 51 a 62.
Econômico: 63 a 70.
Tributário: 71 a 80.
Ambiental: 81 a 90.  
Grupo 2
Civil: 91 a 103.
Processo Civil: 104 a 118.
Empresarial: 119 a 130
Internacional: 131 a 150.
Grupo 3
Penal: 151 a 162.
Processo Penal: 163 a 172.
Trabalho: 173 a 182.
Processo do Trabalho: 183 a 190.
Previdenciário: 191 a 200.

Ou seja, uma matéria que você esteja destoante pode comprometer sua aprovação. 

Já para a PFN, você poderá ser bom apenas em algumas matérias (Administrativo, Tributário, Processo Civil, Constitucional, Financeiro, Econômico, Civil e Empresarial), sabendo bem pouco das demais (Penal, Processo Penal, Trabalho, Processo do Trabalho, Internacional- OBS- ainda sim tem que acertar 4 no G3, o que pode ser um complicador. Cuidado, portanto).  
GRUPO I-
Constitucional- 20 questões.
Tributário- 20 questões.
Financeiro- 5 questões.
Econômico- 5 questões.
Administrativo- 10 questões

GRUPO II-
Internacional Público- 2 questões.
Empresarial- 5 questões.
Civil- 5 questões.
Processo Civil- 20 questões.

GRUPO III-
Penal e Processo Penal- 2 questões.
Trabalho e Processo do Trabalho- 2 questões.
Seguridade Social- 4 questões.

A segunda fase de Advogado da União: eu achei mais difícil, pois no G3 caiu uma peça de penal muito complicada (mesmo), e vários candidatos foram reprovados. Já na PFN, a prova também foi bem difícil, mas não houve muitas reprovações. 

Na fase oral, as reprovações são mínimas em ambas. 

Ou seja, faça uma análise realista do seguinte:
Tem uma base razoável em todas as matérias do edital de AU (ou quase todas pelo menos), em sendo positiva a resposta, pode optar pela prova de AU sem medo. 
Se está mais em início de estudos, penso que suas chances são melhores na PFN, pois bastará aprofundar em menos matérias para ter mais chances de aprovação. Mas espere uma prova bem mais complicada, o que demandará um estudo bem aprofundado especialmente de Processo Civil e Tributário. 

SE PREPARAR PARA AS DUAS OU NÃO? 
Minha sugestão é escolher uma e focar nessa, mas também fazer a segunda com o conhecimento acumulado. Eu acho mais fácil (e aqui é uma mera opinião) quem está estudando para AU ter chances de passar na PFN, do que quem está estudando para a PFN passar para AU. 
Tanto é possível conciliar, que há a possibilidade de as provas serem no mesmo dia justamente em virtude disso: muita gente passa nos 2. 
Então, foque em uma, mas faça as duas, se as provas forem em dias diferentes.  

Agora se você decidiu pela PFN, nosso material está AQUI
Já, se a escolha foi AU, o link é ESSE.

Uma última informação: as provas são dificílimas, então vamos estudar muito agora. Confiem em vocês. Agora é a hora, e uma das 600 vagas em jogo pode ser de vocês. 

Era isso meu povo. Espero ter ajudado, ao menos um pouco. 

Eduardo

2 comentários:

  1. Professor, obrigado pelo post!

    Em que pese tenha falado da questão da lotação, se pudesse dar um conselho objetivo! Analisando somente este quesito..

    Qual dos dois concursos tem a melhor possibilidade de lotação inicial em Brasília - DF, ou que demore menos tempo pra regresso à capital? Obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Eduardo, ótimas dicas.

    As duas carreiras sempre me interessaram muito..Mas vou investir na PFN. Mas aí conforme vc indicou, sendo em dias diferentes penso que seja proveitoso fazer a 1a fase dos dois.
    Vou adquirir seu edital e vamos que vamos!

    Obrigada pelo incentivo.

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!