Quem passa diariamente por aqui, PASSA!

SIGAM NO INSTAGRAM @EDUARDORGONCALVES e @MEUESQUEMATIZADO PARA DICAS, SORTEIOS, LIVES, NOTÍCIAS E MUITO MAIS

UMA DOSE DE MOTIVAÇÃO

Muitas pessoas desistem de seus sonhos (da aprovação), no decorrer de suas vidas. A maioria, por não suportar o tempo da espera (que é longo), acaba se decepcionando e perdendo a esperança de alcançar seus objetivos e metas (isso em virtude de algumas reprovações!).

Quando o ser humano abre mão de algo que muito deseja ou sonha, a reposta é sempre a mesma: frustração. A tristeza por não ter conquistado aquilo que tanto se desejou acaba abalando a fé e consequentemente causando um esfriamento espiritual.

Ora, não há vitória sem luta (não há aprovação sem muita luta). É certo que algumas provas pareçam intermináveis, mas a vitória ao final é certa. 

O que acontece é que se uma pessoa abandona uma batalha pela metade, quando resolve retornar, não começa de onde parou, mas segue para o final da fila, e começa tudo de novo. Quando você desiste dos concurso e resolve retomar, é exatamente isso que acontece: a fila andou e você perdeu seu lugar! 

Assim, meu amigo concurseiro não espere uma jornada fácil e sem reprovações. Não espere uma jornada de glória antes do fracasso. Não espere uma caminhada tranquila, nem que renúncias não serão necessárias. 

Muito pelo contrário: a maratona é longa, cansativa, frustrante durante a maior parte do caminho, mas ao final vem a glória da aprovação e da realização do SEU SONHO

Mais que isso: não desanime na primeira, na segunda ou na terceira reprovação. Não pare no meio do caminho, pois a fila anda e você ficará para trás. 

Se você parar, muita gente lhe ultrapassará, e quando você decidir retomar estará muito mais longe do eu sonho, VOCÊ voltará para o meio ou para o final da fila. 

Perseverança é a chave da vitória. 

Vamos juntos! 

Eduardo, em 7/10/18 
Siga no Instagram @eduardorgoncalves

Fonte do texto base: AQUI

6 comentários:

  1. O texto certo, nas horas certas.. rs.. Obrigada professor Eduardo :)

    ResponderExcluir
  2. era o que eu precisava "ouvir"... estou em um mar de frustração, pensei em depois do MPU realmente dar um tempo, afinal tenho minhas necessidades e saberá Deus quando essa vitória vai chegar... mas ao ler esse texto foi como uma resposta para apenas talvez diminuir o ritmo, respirar mas continuar. Obrigada

    ResponderExcluir
  3. É isso mesmo! Não podemos desistir. Eu, por exemplo, estou na última fase do concurso da polícia civil de SC, sei já se passou quase um ano, o concurso ainda não terminou e pode ser que demore muito tempo até a convocação para o curso de formação. Mas a jornada deve continuar, não podemos perder a esperança, a fé e a determinação! Obrigada professor Eduardo, seu site é essencial para o crescimento do meu conhecimento jurídico e pessoal.

    ResponderExcluir
  4. Sentir-se motivado com essa perspectiva de que teremos no Brasil um presidente com ideias nazifascistas é bem difícil! Além disso, seu programa de governo ultraliberal põe em dúvida a continuidade dos concursos públicos, pelo menos na frequência que hoje existe, haja vista que está previsto o enxugamento máximo do Estado, com consequências, obviamente, nos certames. No governo vindouro a destruição da imagem do serviço e do servidor público se dará de forma ainda mais agressiva, com vistas a implantar, de vez, a famigerada terceirização irrestrita, que tornará ainda mais precários os empregos. Também é um desalento saber que a assunção do nazifascismo, que contaminou toda a sociedade com promessas fáceis e irreais, teve a contribuição indisfarçável de parte do Judiciário brasileiro, através da operação lavajato, principalmente, que destruiu, estrategicamente, alvos selecionados, dando margem ao que vemos hoje na relação de eleitos no Congresso Nacional: futuros deputados/senadores desqualificados, agressivos, violentos, descomprometidos com os direitos humanos, selvagens, como Alexandre Frota, Kim Kataguiri etc. Esse foi o ambiente criado pela desordem jurídica, pelo desrespeito às leis pelos próprios operadores do Direito (Dallagnol, Moro, Bretas, Carmem Lúcia, Fux e Barroso que o digam!), pela bagunça institucional do Brasil pós-golpe. Repito: como motivar-se sabendo que há risco de uma ditadura e de uma tragédia social?! Não sou egoísta o bastante para simplesmente achar que "se eu passar num concurso" tudo bem! Não está. Não estará enquanto a democracia brasileira estiver sob ataque de quem deveria defendê-la.

    ResponderExcluir
  5. Sentir-se motivado com essa perspectiva de que teremos no Brasil um governo ultra-liberal é bem difícil! Um programa de governo que põe em dúvida a continuidade dos concursos públicos, pelo menos na frequência que hoje existe, haja vista que está previsto o enxugamento máximo do Estado, com consequências, obviamente, nos certames. No governo vindouro a destruição da imagem do serviço e do servidor público se dará de forma ainda mais agressiva, com vistas a implantar, de vez, a famigerada terceirização irrestrita, que tornará ainda mais precários os empregos. Como motivar-se sabendo que há risco de uma ditadura e de uma tragédia social?! Não sou egoísta o bastante para simplesmente achar que "se eu passar num concurso" tudo bem! Não está. Não estará enquanto a democracia brasileira estiver sob ataque de quem deveria defendê-la.

    ResponderExcluir

Sua interação é fundamental para nós!

GOSTOU DO SITE? ENTÃO NÃO DEIXE DE NOS SEGUIR NO INSTAGRAM @EDUARDORGONCALVES e @MEUESQUEMATIZADO